TCC IVALDO FERNANDES DE SOUSA

ESCOLA
TEOLÓGICA DA ASSEMBLEIA DE DEUS EM PARNAMIRIM (ETAP)

BACHARELADO EM
TEOLOGIA

 

 

 

 

 

 

 

 

ASSEMBLEIA DE DEUS NA ERA DIGITAL: análise sobre as publicações
envolvendo a AD na internet

 

 

IVALDO
FERNANDES DE SOUSA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PARNAMIRIM/RN

2023

IVALDO FERNANDES DE SOUSA

 

 

 

 

 

 

ASSEMBLEIA DE DEUS NA ERA DIGITAL: análise sobre as publicações
envolvendo a AD na internet

 

 

 

 

 

 

 

Monografia apresentada à Escola Teológica da Assembleia de
Deus em Parnamirim (ETAP), como requisito parcial para conclusão do curso de
Bacharelado em Teologia.

 

Orientadora: Prof. Suzana Teixeira de Oliveira

PARNAMIRIM/RN

2023

 

ESCOLA TEOLÓGICA DA ASSEMBLÉIA DE DEUS EM PARNAMIRIM (ETAP)

BACHARELADO EM TEOLOGIA

 

TERMO DE APROVAÇÃO

 

 

ASSEMBLEIA DE DEUS NA ERA DIGITAL: análise sobre as publicações
envolvendo a AD na internet

 

 

POR

 

IVALDO FERNANDES DE SOUSA

 

Esta Monografia foi
apresentada em 10/08/2023 como requisito parcial para a obtenção do título
de Bacharel em Teologia. O(a) candidato(a) foi avaliado(a) pela Banca
Examinadora composta pelos professores abaixo assinados. Após deliberação, a
Banca Examinadora considerou o trabalho aprovado.

 

__________________________________

Suzana Teixeira de Oliveira

Prof.(a) Orientador(a)

 

___________________________________

Elinaldo Renovato de Lima

Membro titular

 

___________________________________

Régia Maria de Carvalho

Membro titular

 

 

IVALDO FERNANDES DE SOUSA[1] é
acadêmico do Curso de Bacharelado em Teologia pela da Escola Teológica da
Assembleia de Deus em Parnamirim (ETAP), o qual apresenta nesse trabalho de
conclusão de curso sob o tema: Assembleia de Deus na era digital: análise sobre
as publicações envolvendo a AD na internet

 

 

 

RESUMO

 

Esse trabalho buscou analisar como a
Assembleia de Deus, uma das maiores denominações evangélicas do Brasil, é
retratada na internet. Fundada no início do século XX por missionários suecos e
norueguês, a igreja desempenha um papel significativo na vida religiosa e
social do país. Devido ao seu tamanho e influência, a Assembleia de Deus recebe
destaque frequente na mídia brasileira, com abordagens variadas em diferentes
espaços. Diante disso, este trabalho teve como objetivo analisar jornais
eletrônicos e redes sociais, abordando como a Assembleia de Deus é retratada
nesses espaços. Destacou-se como foco de análise a visão positiva, negativa ou
neutra da AD. Como metodologia, foi utilizada a revisão bibliográfica e as
ferramentas de busca em sites e redes sociais. Foram coletados dados de
publicações referentes aos meses de junho e julho de 2023. Como conclusão,
percebeu-se que a Assembleia de Deus é retratada de forma neutra nos jornais
eletrônicos, mas nas redes sociais a AD aparece de forma tanto positiva como
negativa.

Palavras-chave:
Assembleia de Deus. Internet. Jornais eletrônicos. Redes sociais.

 

IVALDO FERNANDES DE SOUSA is an
academic of the Bachelor’s Degree in Theology at the Theological School of the
Assembly of God in Parnamirim (ETAP), which he presents in this course
conclusion work under the theme: Assembly of God in the digital age: analysis
of publications involving the AG on the internet.

ABSTRACT

 

 

This work aimed to analyze how
the Assembleia de Deus, one of Brazil’s largest evangelical denominations, is
portrayed on the internet. Founded in the early 20th century by Swedish and
Norwegian missionaries, the church plays a significant role in the country’s
religious and social life. Due to its size and influence, the Assembleia de
Deus frequently receives attention in the Brazilian media, with various
approaches in different spaces. Thus, this study’s objective was to analyze
online newspapers and social media, focusing on how the Assembleia de Deus is
portrayed in these platforms. The analysis focused on identifying positive,
negative, or neutral views of AD. The methodology included a literature review
and the use of search tools on websites and social media platforms. Data from
publications related to June and July 2023 were collected. As a conclusion, it
was observed that the Assembleia de Deus is depicted neutrally in online
newspapers, while on social media, it is portrayed both positively and
negatively.

 

Keywords:
Assembleia de Deus. Internet. Online newspapers. Social media.

 

AGRADECIMENTOS

 

 

Agradeço primeiramente a Deus, que é o detentor de todo o
conhecimento, por guiar meus passos e iluminar meu caminho ao longo deste
percurso.
À minha família, pelo apoio constante e compreensão em todos
os momentos. Sem vocês, nada disso seria possível.
À minha amada esposa, Ivone, por ser minha maior
incentivadora, companheira incansável e pilar de força e carinho em todas as
fases dessa jornada.
Aos professores da ETAP, cuja dedicação e conhecimento foram
essenciais para minha formação, por compartilharem seus saberes e experiências
conosco.
Por fim, agradeço ao pastor Elinaldo Renovato, diretor da
ETAP, por sua liderança inspiradora.
A todos vocês, meu profundo reconhecimento e gratidão por
fazerem parte dessa trajetória e contribuírem para meu desenvolvimento. Sem o
apoio de vocês, eu não estaria aqui hoje. Muito obrigado!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Confia no Senhor de todo o teu coração
e não te estribes no teu próprio entendimento.” – Provérbios 3:5

 

 

LISTA DE FIGURAS

Figura 1 – Assembleia de Deus no
portal de notícias G1

Figura 2 –  Assembleia de Deus no portal de notícias Folha
de São Paulo

Figura 3 – Resultado da hashtag
“#assembleiadedeus” no Instagram

Figura 4 – Publicações sobre a
Assembleia de Deus no Twitter

Figura 5 – Lives encontradas no
Facebook promovidas pela AD

Figura 6 – Notícias sobre as
congregações nas contas da AD no Facebook

 

 

 

1. INTRODUÇÃO

 

 

A Assembleia de Deus é uma das
maiores denominações evangélicas do Brasil, com uma história que remonta ao
início do século XX nos Estados Unidos. Foi trazida para o Brasil pelos
missionários suecos Daniel Berg e norueguês Gunnar Vingren em 1910. Desde então,
a Assembleia de Deus tem desempenhado um papel significativo na vida religiosa
e social do país (IEADERN, 2022).

Uma das características
distintivas da Assembleia de Deus é sua ênfase no pentecostalismo. O
pentecostalismo é uma corrente do cristianismo que enfatiza a experiência do
batismo no Espírito Santo e a manifestação dos dons espirituais. Para os
assembleianos, essa experiência é vista como uma evidência da presença e poder
de Deus na vida dos crentes. Entre esses dons espirituais estão falar em línguas
estranhas, curas divinas e profecias (NASCIMENTO, 2021).

A estrutura da Assembleia de
Deus é descentralizada, com cada Igreja sendo autônoma e responsável por suas
próprias práticas e administração. Isso significa que as práticas e ênfases
podem variar entre as Igrejas, embora todas compartilhem os princípios
fundamentais do pentecostalismo (IEADC, 2023).

Devido ao seu tamanho e
influência, a Assembleia de Deus recebe frequentemente destaque na mídia
brasileira, seja ela nos veículos audiovisual, como também na internet. A
denominação possui um grande número de membros e tem desempenhado um papel
importante na política e na sociedade brasileira. Sua presença nos noticiários,
programas de TV e redes sociais reflete seu impacto na vida religiosa e social
do país.

No entanto, é necessário
observar que a forma como a Assembleia de Deus é retratada nesses espaços pode
variar. Algumas reportagens ou publicações nas redes sociais podem destacar os
aspectos positivos da Igreja, como seu envolvimento em projetos sociais e sua
contribuição para a comunidade. Essas histórias podem enfatizar ações
individuais ou coletivas dos membros da denominação que têm impactado
positivamente as vidas das pessoas.

Por outro lado, também é
possível encontrar críticas à Assembleia de Deus. Essas críticas podem abordar
questões relacionadas à teologia pentecostal, à conduta de líderes religiosos
ou a envolvimentos controversos de alguns membros da denominação. É importante
lembrar que essas críticas não representam a totalidade da Assembleia de Deus e
que existem diferentes perspectivas dentro da própria denominação.

Diante desse contexto, buscou-se
responder à pergunta de pesquisa: Como a internet, especificamente os jornais e
redes sociais no Brasil, retrata a Assembleia de Deus e quais são os principais
temas abordados nas publicações? Assim, o objetivo será analisar e compreender
a forma como a Assembleia de Deus é retratada pela internet no Brasil, bem como
identificar os principais temas abordados nas publicações sobre a denominação.

            A justificativa de escolha desse tema se deu por entender
que a proliferação da mídia e da internet tem tido um impacto significativo na
sociedade contemporânea, transformando a forma como as pessoas se comunicam,
interagem e acessam informações. A presença da Assembleia de Deus na internet é
um fenômeno digno de estudo, pois levanta questões essenciais sobre o impacto
dessas tecnologias na religião e na vida das pessoas, além desse veículo de
comunicação ser repleto de controvérsias. Questões relacionadas à autenticidade
da mensagem transmitida, aos limites éticos do uso da tecnologia e às tensões
entre a tradição religiosa e as demandas do ambiente digital surgem nesse
contexto. Compreender como a AD enfrenta esses desafios na internet pode fornecer
informações valiosas para essa denominação em particular.

Para
realizar essa pesquisa, a metodologia adotada foi, primeiramente, a revisão
bibliográfica, para obter informações sobre a Assembleia de Deus no contexto
brasileiro e compreender o papel da mídia na formação de opiniões e
representações sociais. Nessa etapa, foram utilizados sites institucionais da
AD no Brasil e também artigos encontrados no Google Acadêmico.

Na
segunda etapa, foram utilizadas ferramentas eletrônicas de busca, como o
Google, arquivos digitais de veículos de comunicação e publicações em redes
sociais. Foram selecionados os portais de notícias G1, Folha de São Paulo e R7.
Já as redes sociais selecionadas foram o Instagram, Twitter e Facebook.

A
coleta de dados se deu através da busca por publicações na internet, de modo
geral, com matérias que mencionassem ou tratassem da Assembleia de Deus,
definindo como recorte de tempo os meses de julho e julho de 2023.  A análise desses dados foi dividida em três
enfoques: positivo, negativo ou neutro. Além disso, foram apresentados os
principais temas abordados, eventuais estereótipos ou vieses presentes nas
matérias analisadas. Por fim, com base nos resultados obtidos, foram formuladas
as conclusões sobre a pesquisa e suas implicações.

A
estrutura do trabalho foi dividida em três: a primeira, abordando a história e
conceitos sobre a Assembleia de Deus no Brasil; a segunda, discutindo o poder
da mídia e da internet na disseminação de informações e poder de influência
cultural e na formação de opiniões; e a terceira, abordando os dados
encontrados na pesquisa sobre a Assembleia de Deus na internet.

 

 

2. A HISTÓRIA DA ASSEMBLEIA DE DEUS NO
BRASIL

Durante o avivamento em Chicago, um evento espiritual
impactante, Gunnar Vingren, um pastor batista da cidade de South Bend, Indiana,
sentiu-se atraído pelos acontecimentos e decidiu investigar mais a fundo.
Movido pela manifestação do poder divino, ele experimentou uma conversão
profunda e recebeu o batismo do Espírito Santo. Em uma convenção de Igrejas
batistas em Chicago, Vingren teve um encontro com Daniel Berg, outro jovem
sueco que também havia sido batizado no Espírito Santo. Durante uma visita de
Berg a Vingren em South Bend, ambos receberam uma mensagem profética em uma
reunião de oração, que os orientou a pregar o Evangelho e as bênçãos do
Avivamento Pentecostal em uma região chamada Pará, no norte do Brasil (AD
FABRICIANO E IPATINGA, 2016).

Motivados por essa visão e com o desejo ardente de realizar
uma obra evangelística significativa, Vingren e Berg fundaram a “Missão de
Fé Apostólica” em 1911, marcando o início de um movimento de avivamento
pentecostal. Essa missão rapidamente se espalhou pelo Norte do Brasil e
alcançou o Nordeste. No Ceará, uma irmã paraense, em visita aos seus
familiares, tornou-se uma das pioneiras na disseminação da fé pentecostal. No
Rio Grande do Norte e na Paraíba, Joaquim Batista de Macedo, um lavrador
originário do Pará, foi um dos primeiros a levar a mensagem do Evangelho
(IEADERN, 2022).

Em 1914, a cidade de Fortaleza testemunhou o estabelecimento
das primeiras Igrejas pentecostais, com um número crescente de fiéis chegando a
cerca de cem pessoas. A partir desse ponto, a chama do avivamento continuou a
se espalhar pela região (IEADERN, 2022).

Em 1916, alguns norte-riograndenses que haviam buscado
oportunidades no Pará decidiram retornar a Natal. Entre eles estavam Antônio
Felipe Bezerra e sua esposa Luizinha, recentemente convertidos à fé
pentecostal, e Francisco Cézar, que havia abandonado sua antiga religião
presbiteriana após receber o batismo no Espírito Santo. Todos compartilhavam o
mesmo propósito: levar o Evangelho aos seus familiares e comunidades (IEADERN,
2022).

Foi durante uma reunião de oração na casa desse casal, em
1917, que ocorreram as primeiras conversões notáveis no Rio Grande do Norte.
José Domingos da Costa, Pedro Jacinto e sua esposa foram tocados pelo Espírito
Santo, marcando um momento significativo para a obra pentecostal na região
(IEADERN, 2022).

Enquanto isso, na cidade de Belém, em 11 de janeiro de 1918,
a nova Igreja foi oficialmente registrada com o nome “Assembleia de
Deus”, consolidando o movimento e estabelecendo uma base para o
crescimento contínuo da fé pentecostal no Brasil (IEADERN, 2022).

2.1 CONVENÇÃO
GERAL DAS ASSEMBLEIAS DE DEUS NO BRASIL – CGADB

A Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB)
é uma instituição religiosa que representa e coordena as Assembleias de Deus no
país, tendo surgido em 1930. Os pastores brasileiros começaram a planejar a
criação da CGADB numa reunião que aconteceu em Natal, no Rio Grande do Norte,
em fevereiro de 1929. Assim,a primeira Assembleia Geral da CGADB aconteceu em
setembro do mesmo ano reuniu pastores brasileiros e os missionários suecos que
estavam atuando no país. Foi nesse momento que os suecos transferiram a
liderança das AD no Brasil para os pastores brasileiros (AD FABRICIANO E
IPATINGA, 2016).

A missão da CGADB é promover a unidade e a comunhão entre as
Igrejas e pastores filiados, além de oferecer suporte e orientação para o
crescimento e desenvolvimento da denominação. Após o crescimento do Movimento
Pentecostal, os pastores brasileiros sentiram a necessidade de criar uma
organização que fornecesse um espaço para discussões sobre o desenvolvimento da
denominação  (AD FABRICIANO E IPATINGA, 2016).

A CGADB é responsável por organizar e realizar a Assembleia
Geral, um encontro anual que reúne pastores e líderes das Assembleias de Deus
de todo o Brasil. Durante a Assembleia Geral, são discutidos assuntos de
relevância para a denominação, como questões doutrinárias, administrativas, eclesiásticas
e sociais. Decisões importantes são tomadas nesse evento, incluindo a eleição
de líderes e a aprovação de diretrizes e políticas para a atuação das
Igrejas  (AD FABRICIANO E IPATINGA,
2016).

De 1933 a 1938 ocorreram as primeiras resoluções nas
Assembleias Gerais da CGADB. Em 1946, após uma
Assembleia Geral Ordinária realizada em Recife, Pernambuco, os pastores
decidiram transformar a CGADB em uma pessoa jurídica. Dessa forma, a entidade
poderia atuar representando a Igreja perante as autoridades governamentais e
outros segmentos da sociedade  (AD
FABRICIANO E IPATINGA, 2016).

Ao longo das décadas seguintes, as Assembleias Gerais da
CGADB foram marcadas por discussões e debates sobre temas relacionados às
doutrinas bíblicas fundamentais e projetos para avançar na obra divina (AD
FABRICIANO E IPATINGA, 2016). Na década de 1990, sob a liderança do pastor José
Wellington Bezerra da Costa, as Assembleias de Deus experimentaram um período
de crescimento significativo no Brasil. Foi nesse contexto que o projeto Década
da Colheita foi implantado, envolvendo esforços evangelísticos coordenados pelo
pastor Waldir Bícego e engajando toda a Igreja brasileira (AD FABRICIANO E
IPATINGA, 2016).

A CGADB, acompanhando o crescimento da Igreja e a
necessidade de espaços adequados, inaugurou sua nova sede em 1996, localizada
no bairro da Vila da Penha, na cidade do Rio de Janeiro. O moderno edifício
abrigava salas administrativas, um auditório de 700 lugares e também sediava a
EMAD (Escola de Missões das Assembleias de Deus) e uma loja da CPAD (Casa
Publicadora das Assembleias de Deus) (AD FABRICIANO E IPATINGA, 2016).

No século XXI, a CGADB continua empenhada em fortalecer sua
participação ativa na sociedade brasileira. Entre as iniciativas nessa nova
fase, destacam-se a criação do Conselho Político da CGADB e da FAECAD
(Faculdade Evangélica de Ciências, Tecnologia e Biotecnologia da CGADB) (AD
FABRICIANO E IPATINGA, 2016).

3. A MÍDIA, A
INTERNET E A INFLUÊNCIA NA CULTURA E NA SOCIEDADE

Os meios de comunicação
contemporâneos, como a televisão, a internet, os jornais impressos e
eletrônicos, desempenham um papel fundamental na transmissão de informações
atualizadas sobre diferentes espaços e grupos sociais, alcançando um público
amplo e de forma globalizada. No entanto, é importante considerar que, muitas
vezes, essas informações podem estar fragmentadas, a menos que haja uma
contextualização adequada (VERMELHO, 2014).
            Nesse contexto, as redes
sociais se destacam como um dos principais componentes da chamada
“cibercultura”, representando um fenômeno poderoso no contexto da comunicação e
da influência na sociedade contemporânea. Através dessas plataformas digitais,
pessoas de diferentes partes do mundo podem se conectar, compartilhar informações,
expressar opiniões e interagir em tempo real (LEMOS, 2003).

As redes sociais têm um impacto
significativo na forma como nos comunicamos e nos relacionamos. Elas fornecem
um espaço virtual onde indivíduos e comunidades podem se expressar, divulgar
ideias e valores, criar movimentos sociais e mobilizar pessoas em torno de
causas comuns. Em outras palavras, essas plataformas democratizaram a
comunicação, ou seja, permite que qualquer pessoa possa ter uma voz ativa e
alcançar um público amplo (LEMOS, 2003).

Além disso, as redes sociais
desempenham um papel crucial na disseminação de informações e na formação da
opinião pública. O compartilhamento rápido e massivo de notícias e conteúdos
pode influenciar as percepções e atitudes das pessoas em relação a determinados
assuntos, tornando-se espaços de debate e discussão (LEMOS, 2003).

Diante do exposto, as redes
sociais têm desempenhado um papel significativo na forma como as Igrejas,
incluindo a Igreja Assembleia de Deus, são comentadas e discutidas na esfera digital.
Essas plataformas permitem que as pessoas expressem suas opiniões, compartilhem
experiências e interajam umas com as outras em tempo real, criando um espaço
para discussões e debates sobre diferentes aspectos. Os membros e
frequentadores das Igrejas, bem como aqueles que têm curiosidade ou opiniões
sobre elas, podem usar as redes sociais para compartilhar suas experiências
pessoais, expressar suas visões e até mesmo levantar críticas.

Nesse sentido, no próximo tópico
será discutido como a Igreja Assembleia de Deus aparece na internet, mostrando
publicações que abordam de forma positiva, negativa e neutra.

4. A
ASSEMBLEIA DE DEUS NA INTERNET

           

            Para
discutir como a Assembleia de Deus aparece na internet, incluindo portais de
notícias e redes sociais, foi definido a análise apenas no mês de junho e julho
de 2023. O objetivo de definir esse período é delimitar a quantidade de
conteúdo encontrado, para não ficar um trabalho extenso e repetitivo.

            Como
portais de notícias, foram selecionados os três maiores veículos do Brasil na
atualidade, R7, G1 e Folha de São Paulo. Nesses sites, foram considerados
apenas matérias que continham no título a expressão “Assembleia de Deus”, uma
vez que o foco é analisar especificamente o que os portais de notícias vêm reportando
de conteúdo sobre a AD. Foram descartadas, portanto, as notícias subjacentes
cujo conteúdo não tinham nenhuma relação com a AD, mas que o termo aparece no
corpo da reportagem citando que alguém pertence à congregação. No entanto, o R7
não permitiu a busca do termo “Assembleia de Deus”, e por isso não retornou
nenhum resultado, tendo que ser desconsiderados.

Já nas redes sociais, foram
escolhidos o Instagram, Twitter e Facebook. O instagram é um rede social de
compartilhamento de fotos e vídeos, sendo o texto um elemento adicional e não
essencial na mensagem que quer veicular. Por outro lado, o Twitter é uma rede
social predominantemente de texto, que pode ou não vir acompanhada de imagens e
links que levam a outros sites na
internet.

Em termos de conteúdo, o
Instagram é uma rede social que segue políticas de uso rígidas e bem definidas.
Conteúdos que contenham ofensas geralmente são apagados imediatamente pela
plataforma ou quando denunciados pelos usuários. Já o Twitter é conhecido como
uma rede social “tóxica”, em que xingamentos e palavras de baixo calão são
constantemente utilizados, uma vez que a rede não possui regras que proíbem o
uso de palavras inadequadas ou imagens ofensivas.

Com base na natureza do conteúdo
encontrado, os materiais foram divididos em: a Assembleia de Deus aparece de
forma positiva, negativa ou neutra. Aqui o título não teve importância, uma vez
que nas redes sociais a opinião dos internautas aparece de forma espontânea,
como uma linha de pensamento, o que diferente de uma redação jornalística.

Feita essas considerações, foi
analisado primeiramente o Portal G1, pertencente ao Grupo Globo. Nesse site,
todas as notícias encontradas sobre a AD se referiram às comemorações e
encontros que estavam ocorrendo em diversos estados do Brasil, como pode ser
visto na Figura 1 abaixo.

 

Figura 1 – Assembleia de
Deus no portal de notícias G1

Fonte: G1, 2023

           

Como pode-se perceber, foram
noticiadas as programações de celebração de 20 anos de uma congregação do
Maranhão e de 100 anos da AD em Fortaleza. Além disso, o portal abordou a
realização de três encontros de jovens da Ad que aconteceram nesse período, sendo
um em Petrolina, outro em Campinas e um em Goiânia. Além disso, foi abordado o
evento gospel da AD que aconteceu em Alagoas e a programação especial da
história da AD em Belém, no Pará.

Ao verificar as notícias, todos
os conteúdos relataram um pouco da história da AD e dos eventos que estavam
ocorrendo nas cidades. Não havia menções que tendessem a críticas ou elogios,
apenas a notícia. Por isso, pode-se classificar que o conteúdo encontrado no
Portal G1 durante esse período foi neutro.

Enquanto isso, na Folha de São
Paulo não foi encontrada nenhuma notícia sobre a Assembleia de Deus. O termo só
apareceu no corpo das reportagens, ao falar sobre a trajetória de vida de
alguém, citando que a pessoa é da AD, como pode-se perceber na Figura 2.

Figura 2 –  Assembleia de Deus no portal de notícias
Folha de São Paulo
 

 

Fonte: Folha de São Paulo,
2023

            Apesar
dessas notícias não falarem diretamente da AD, algumas reportagens dão ênfase
no termo “Igreja evangélica” e “evangélicos”. Foi possível perceber que muitas
notícias em que os termos estão aparecendo estão relacionados a assuntos
políticos. No entanto, não possuem conteúdo crítico à AD, da mesma forma que
não apresentam elogios. Diante desse contexto, pode-se dizer que os conteúdos
encontrados na Folha de São Paulo também são neutros.

            Enquanto
isso, o Instagram como uma rede social predominantemente de fotos e vídeos,
utiliza como ferramenta de busca de conteúdo o símbolo “#”, chamado de
“hashtag”. Ao colocar o símbolo precedido de um assunto, o internauta poderá
encontrar diversos conteúdos sobre o assunto relacionado. Como já mencionado
anteriormente, essa rede social possui um padrão rígido de política de uso, em
que um usuário que cometa infração repetidamente pode inclusive ter a conta banida.

Quando pesquisado sobre a AD na
hashtag, o resultado retornado foi o da Figura 3. Percebe-se que a maioria do
conteúdo encontrado se trata de passagens da Bíblia e mensagens cristãs. Além
das fotos com trechos da Bíblia, vê-se também a presença de irmãos e pastores
pregando a Palavra do Senhor em suas contas.

Além disso, foram encontradas
diversas contas de congregações da AD pelo Brasil todo. Os irmãos estão criando
espaço de divulgação das obras da Igreja e também divulgando a palavra para
outras pessoas, espalhando a luz do Evangelho pelo mundo virtual. 

Figura 3 – Resultado da
hashtag “#assembleiadedeus” no Instagram

 

Fonte: Instagram, 2023

           

Percebe-se, assim, que o conteúdo
encontrado no Instagram se classifica como positivo, uma vez que o espaço está
sendo muito utilizado pelos irmãos para divulgar a AD, suas obras, e a Palavra
de Deus. Por outro lado, o Twitter é praticamente o avesso disso.

Como já mencionado, essa rede
social não possui uma política de uso rígida, permitindo que seja publicado
todo tipo de conteúdo, desde crimes que foram gravados em vídeos, até
xingamentos verbais. A realidade dessa rede social é essa e o conteúdo predominantemente
ofende algum grupo. Os assembleianos não foram diferentes. Foram encontrados
muitos xingamentos, comparações ofensivas e diversas outras falas contra os
evangélicos da Assembleia de Deus. No entanto, como o conteúdo é muito
ofensivo, com palavras chulas, não foram utilizadas as imagens desse tipo de
publicação neste trabalho.

Alguns outros conteúdos também
são divulgados como forma de criticar a Igreja, comparando com política e fatos
históricos. No meio disso tudo, também foi possível encontrar algumas notícias
de blogs e sites não renomados que dizem publicar notícias. Na contramão disso
tudo, também foi encontrado alguns irmãos promovendo as obras das congregações
e convidando as pessoas a conhecerem, mas esses eram raras exceções, como pode-se
perceber na Figura 4.

Figura 4 – Publicações sobre
a Assembleia de Deus no Twitter

 

 

Fonte: Twitter, 2023

Diante do exposto, conclui-se que, de acordo com o material
encontrado nessa rede social, que a maioria das publicações envolvendo a AD são
negativas. Ademais, não são apenas negativas como também depreciativas.

No que se refere ao Facebook,
essa rede social se mostrou como a principal ferramenta utilizada pelos
assembleianos para fazerem lives dos
cultos nas redes sociais, divulgando as pregações em tempo real, como mostra a
Figura 5 abaixo.

Figura 5 – Lives encontradas
no Facebook promovidas pela AD

 

 

 

Fonte: Facebook, 2023

Além disso, esse espaço é
utilizado para divulgar os eventos da Igreja, encontros de jovens, e notícias
sobre as congregações, como mostra na Figura 6.

 

Figura 6 – Notícias sobre as
congregações nas contas da AD no Facebook

 

 

Fonte: Facebook, 2023

Nessa
rede social, foi possível perceber que a atuação das congregações é muito
presente. A plataforma é utilizada diariamente para diversos tipos de
publicações. Nesse sentido, pode-se classificar os conteúdos encontrados como
positivos. Além disso, raramente é encontrada uma publicação proferindo ofensa
à Assembleia de Deus no Facebook, mas não impede que os comentários das
publicações contenham esse tipo de conteúdo.

5. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Este trabalho teve como objetivo
analisar e compreender a forma como a Assembleia de Deus é retratada pela
internet no Brasil, buscando também identificar os principais temas abordados
nas publicações sobre a denominação. Para isso, foi situado a história da AD no
Brasil e o poder de influência que as redes sociais podem ter na vida das
pessoas.

Diante de tudo o que foi
apresentado, pode-se perceber que a presença da Assembleia de Deus na internet,
incluindo portais de notícias e redes sociais, revelou-se uma realidade
diversificada. Ao delimitar a análise apenas aos meses de junho e julho de
2023, foi possível evitar um trabalho extenso e repetitivo, concentrando-se nas
principais ocorrências desse período.

No que se refere aos portais de
notícias, foi selecionado um grupo representativo dos maiores veículos do Brasil:
R7, G1 e Folha de São Paulo. Enquanto o G1 apresentou notícias sobre
comemorações e encontros da Assembleia de Deus em diferentes estados, a Folha
de São Paulo trouxe poucas referências, geralmente ligadas a citações sobre a
trajetória de vida de algumas pessoas, sem críticas ou elogios específicos à
denominação. Ambos os portais, portanto, apresentaram conteúdos neutros em
relação à Assembleia de Deus.

Ao analisar as redes sociais,
especificamente o Instagram e o Twitter, foi evidente a diferença em relação à
natureza do conteúdo encontrado. O Instagram, por sua política rígida de uso,
revelou-se predominantemente um espaço positivo para a Assembleia de Deus, onde
se encontraram mensagens cristãs, trechos bíblicos, pregações e divulgação das
obras da Igreja. Os irmãos têm utilizado essa rede social para espalhar a
mensagem do Evangelho e alcançar outras pessoas.

Em contraste, o Twitter,
conhecido por ser uma rede social com conteúdo mais aberto e menos regulado,
mostrou-se um ambiente majoritariamente negativo em relação à Assembleia de
Deus. Foram encontrados diversos xingamentos, comparações ofensivas e críticas,
muitas delas de cunho depreciativo contra os evangélicos da denominação. Essa
rede social parece ser mais propícia a debates acalorados e manifestações de
intolerância religiosa.

Pode-se concluir que a presença
da Assembleia de Deus na internet é diversificada, com conteúdos positivos,
neutros e negativos. O Instagram se destacou como um espaço utilizado
positivamente pelos irmãos para divulgar a mensagem cristã, enquanto o Twitter
mostrou-se mais propenso a conter conteúdo negativo e depreciativo, embora
também tenham sido encontradas algumas exceções positivas. É importante notar
que, em ambos os casos, os fiéis têm aproveitado a internet como um meio de
disseminar a fé e a palavra de Deus, buscando alcançar outras pessoas com a
mensagem do Evangelho.

 

REFERÊNCIAS

AD FABRICIANO E IPATINGA. Assembleia de Deus no Brasil: uma história
de fé e coragem.
Disponível em:
https://www.adfabricianoipatinga.com.br/ler_texto.php?id=8. Acesso em: 28 jun.
2023.

PORTAL G1. Resultado da busca por “Assembleia de Deus”. Disponível em:
https://g1.globo.com/busca/?q=assembleia+de+deus. Acesso em: 27 jul. 2023.

FACEBOOK. Resultados de pesquisa “Assembleia de Deus”. Disponível em:
https://www.facebook.com/search/top?q=assembleia%20de%20deus. Acesso em: 27
jul. 2023.

FOLHA DE SÃO PAULO. Busca: Assembleia de Deus. Disponível
em: https://search.folha.uol.com.br/?q=assembleia+de+deus&site=todos.
Acesso em: 27 jul. 2023.

IEADC. AD no Brasil. Disponível em: https://assembleiadedeus.org.br/99-2/.
Acesso em: 10 jul. 2023.

IEADERN. História. Disponível em:
https://ieadern.org.br/institucional/historia/. Acesso em: 28 jun. 2023.

INSTAGRAM. Explorar tags “Assembleia de Deus”. Disponível em:
https://www.instagram.com/explore/tags/assembleiadedeus/. Acesso em: 27 jul.
2023.

LEMOS, A. Cibercultura: alguns pontos para compreender a nossa época. In:
LEMOS, A.; CUNHA, P. (Org.). Olhares sobre a cibercultura. Porto Alegre:
Sulina, 2003.

NASCIMENTO, M. L. C. O pentecostalismo na história da Igreja: de
Jerusalém à Azusa.
Teologia em Revista – Revista Acadêmica Da FAESP, São
Paulo, v. 1, n. 2, 2021.

TWITTER. Buscar no Twitter “Assembleia de Deus”. Disponível em:
https://twitter.com/search?q=assembleia%20de%20deus&src=typed_query. Acesso
em: 27 jul. 2023.

VERMELHO, S. C. et al. Refletindo sobre as redes sociais digitais. Educ. Soc., Campinas,
v. 35, n. 126, p. 179-196, mar. 2014.


[1] e-mail: ivaldofz@gmail.com

Rolar para cima