Estado de Israel criado ou proclamado

Neste post, vamos explorar a história do território de Israel antes da era cristã, desde os tempos pré-históricos até a conquista romana. Vamos conhecer as diferentes civilizações que habitaram essa região, suas culturas, religiões, conflitos e legados. Vamos também analisar as fontes arqueológicas, históricas e bíblicas que nos permitem reconstruir esse passado fascinante.

O território de Israel, também chamado de Terra Santa, Canaã ou Palestina, é uma área geográfica situada no Oriente Médio, entre o mar Mediterrâneo e o rio Jordão. Essa região foi palco de importantes acontecimentos históricos e religiosos, que influenciaram o desenvolvimento das três grandes religiões monoteístas: o judaísmo, o cristianismo e o islamismo.

A história do território de Israel antes de Cristo pode ser dividida em quatro grandes períodos: o período pré-histórico, o período cananeu, o período israelita e o período helenístico-romano. Vamos ver cada um deles em detalhes.

Período pré-histórico

O período pré-histórico abrange desde os primeiros vestígios humanos na região até o surgimento da escrita, por volta do século XV a.C. Nesse período, podemos distinguir três fases: o Paleolítico, o Neolítico e a Idade do Bronze.

O Paleolítico é a fase mais antiga da pré-história, que vai desde cerca de 1 milhão de anos atrás até 10 mil anos atrás. Nessa fase, os humanos eram nômades caçadores-coletores, que viviam em pequenos grupos e se deslocavam em busca de alimentos e abrigo. Eles usavam ferramentas de pedra lascada e fogo para se proteger e se aquecer. Alguns dos sítios arqueológicos mais importantes dessa fase são Ubeidiya, Tabun e Qafzeh.

O Neolítico é a fase que vai desde cerca de 10 mil anos atrás até 4 mil anos atrás. Nessa fase, os humanos começaram a se sedentarizar e a praticar a agricultura e a pecuária. Eles também desenvolveram a cerâmica, a tecelagem e a construção de aldeias e cidades. Alguns dos sítios arqueológicos mais importantes dessa fase são Jericó, Çatalhöyük e Beidha.

A Idade do Bronze é a fase que vai desde cerca de 4 mil anos atrás até 1.200 anos atrás. Nessa fase, os humanos começaram a usar o metal para fabricar armas, ferramentas e objetos de arte. Eles também desenvolveram sistemas políticos, sociais e religiosos mais complexos, formando reinos e impérios. Alguns dos sítios arqueológicos mais importantes dessa fase são Megido, Hazor e Ugarit.

 

Cronologia

A história antiga da região que hoje compreende Israel é complexa, e o conceito de um território chamado Israel evoluiu ao longo dos milênios. Aqui estão alguns marcos importantes na história antiga da região:

Período Bíblico: O conceito de Israel como uma entidade política e territorial está profundamente enraizado na Bíblia. O Reino de Israel, que se dividiu em Reino de Israel (do Norte) e Reino de Judá (do Sul), teve seu auge nos séculos X a VII a.C.

Cativeiro Babilônico (586 a.C.): Após a conquista babilônica e a destruição do Primeiro Templo, muitos judeus foram levados para o exílio na Babilônia.

Retorno do Exílio (século VI a.C.): Com o Editto de Ciro em 538 a.C., alguns judeus foram autorizados a retornar à região e reconstruir o Templo em Jerusalém.

Domínio Persa, Grego e Romano: A região passou por diferentes domínios, incluindo o Império Persa, o Império Macedônico de Alexandre o Grande e, posteriormente, o Império Romano.

Período Romano e de Herodes (séculos I a.C. e I d.C.): Durante esse tempo, o Segundo Templo foi reconstruído e expandido sob o reinado de Herodes, o Grande.

Destruição do Segundo Templo (70 d.C.): O Segundo Templo foi destruído pelos romanos no ano 70 d.C., após uma revolta judaica.

Descobertas Arqueológicas

Jericó
Iniciamos com as emocionantes escavações em Jericó, onde as antigas muralhas revelam vínculos intrigantes com a narrativa da conquista de Canaã pelos israelitas.

Tanque de Siloé
Desvendamos os segredos do Tanque de Siloé em Jerusalém, cujas escavações lançaram luz sobre eventos bíblicos, como a cura de um homem cego por Jesus.

Tel Dan
Exploramos a Estela de Tel Dan, uma inscrição que menciona a “Casa de Davi,” fornecendo uma confirmação arqueológica única da dinastia davídica.

Outras Descobertas
Investigamos outras emocionantes descobertas arqueológicas que solidificam a presença de Israel na antiguidade.

Figuras Bíblicas e Reis de Israel
Conectamos os pontos entre figuras bíblicas, como Davi e Salomão, e as evidências arqueológicas que cercam seus reinados, oferecendo uma visão mais clara dessas personalidades históricas.

Debates e Controvérsias
Adentramos nos debates entre estudiosos, examinando interpretações variadas das evidências arqueológicas e abordando possíveis controvérsias que adicionam camadas à narrativa.

Conclusão:
Ao fechar esta jornada arqueológica, destacamos as principais descobertas que reforçam a existência do território de Israel na antiguidade. A arqueologia, como uma janela para o passado, continua a revelar os mistérios dessa rica história.

É importante notar que, embora essas inscrições e artefatos forneçam evidências arqueológicas relacionadas a figuras bíblicas, a interpretação dessas descobertas e sua conexão precisa com os relatos bíblicos continuam sendo temas de pesquisa e debate entre estudiosos. Além disso, nem todos os reis mencionados na Bíblia têm equivalentes arqueológicos confirmados. A arqueologia é uma disciplina dinâmica, e novas descobertas podem alterar e expandir nosso entendimento da história antiga.
 

O Estado de Israel foi proclamado em 14 de maio de 1948.

Antes da proclamação do Estado de Israel em 1948, a região era conhecida como Mandato Britânico da Palestina. A comunidade judaica na região estava em crescimento, e várias organizações sionistas buscavam o estabelecimento de um estado judeu.

Antes disso, durante a Primeira Guerra Mundial, o Império Otomano foi derrotado pelos Aliados, e o território conhecido como Palestina foi ocupado pelos britânicos em 1917. O Mandato Britânico foi estabelecido pela Liga das Nações em 1920, e durante esse período, a comunidade judaica cresceu na região.

O processo que levou à criação do Estado de Israel foi complexo e envolveu eventos históricos, políticos e sociais ao longo do século XX. A Declaração de Balfour (1917) expressou o apoio britânico à criação de um “lar nacional para o povo judeu” na Palestina. No entanto, o estabelecimento efetivo do Estado de Israel ocorreu em 1948, quando a declaração de independência foi proclamada por David Ben-Gurion.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima