A Igreja e a verdadeira adoração ao Deus Trino

 

Leitura Diária Romanos 12

1 Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.

Reflexão
A Igreja é o povo de Deus, chamado para glorificar a Ele em todas as áreas da vida. A adoração é a expressão da nossa gratidão, amor e reverência ao Deus Trino, que se revelou como Pai, Filho e Espírito Santo. A verdadeira adoração não se limita a um momento ou lugar, mas abrange toda a nossa existência. Neste artigo, vamos refletir sobre alguns aspectos da verdadeira adoração ao Deus Trino.

A verdadeira adoração é centrada em Deus

A adoração não é sobre nós, mas sobre Deus. Ele é o objeto, o motivo e o fim da nossa adoração. Não adoramos a Deus para satisfazer as nossas necessidades, sentimentos ou preferências, mas para honrar a Sua grandeza, bondade e santidade. A adoração não é uma performance humana, mas uma resposta à revelação divina. Não adoramos a Deus com base nas nossas ideias ou imaginações, mas na Sua Palavra, que nos ensina quem Ele é e o que Ele fez por nós.

A verdadeira adoração é trinitária
A adoração é trinitária porque Deus é trino. Ele existe eternamente em três pessoas distintas, mas inseparáveis: o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Cada pessoa da Trindade tem o mesmo ser, poder e glória, e merece igual adoração. A adoração trinitária reconhece e celebra as obras de cada pessoa da Trindade na criação, na redenção e na santificação. A adoração trinitária também reflete a comunhão e o amor que existem entre as pessoas da Trindade, e nos convida a participar dessa comunhão e desse amor.

A verdadeira adoração é mediada por Cristo
A adoração é mediada por Cristo porque Ele é o único caminho para o Pai. Ele é o Filho eterno de Deus, que se fez carne e habitou entre nós. Ele é o Salvador do mundo, que morreu na cruz pelos nossos pecados e ressuscitou dentre os mortos para nos dar vida eterna. Ele é o Senhor da glória, que subiu aos céus e está assentado à direita do Pai. Ele é o Sumo Sacerdote da nossa confissão, que intercede por nós diante do trono da graça. Ele é o Rei dos reis, que voltará para julgar os vivos e os mortos e estabelecer o Seu reino eterno. Somente por meio de Cristo podemos ter acesso a Deus e oferecer-lhe um culto aceitável.

A verdadeira adoração é capacitada pelo Espírito
A adoração é capacitada pelo Espírito porque Ele é o agente da nossa regeneração, adoção e santificação. Ele é o Espírito de Deus, que nos une a Cristo pela fé e nos faz membros do Seu corpo. Ele é o Espírito de verdade, que nos ilumina para entender e aplicar a Palavra de Deus. Ele é o Espírito de graça, que nos habilita a orar conforme a vontade de Deus. Ele é o Espírito de poder, que nos concede dons para edificar a Igreja. Ele é o Espírito de amor, que produz em nós o fruto do Espírito e nos motiva a servir uns aos outros.

A verdadeira adoração é transformadora
A adoração é transformadora porque ela nos conforma à imagem de Cristo. Quando adoramos a Deus em espírito e em verdade, somos expostos à Sua presença, à Sua Palavra e à Sua vontade. Somos confrontados com os nossos pecados, arrependemo-nos e recebemos o Seu perdão. Somos consolados com as Suas promessas, fortalecemos a nossa fé e renovamos a nossa esperança. Somos desafiados com os Seus mandamentos, obedecemos à Sua voz e seguimos os Seus passos. Somos capacitados com os Seus dons, servimos à Sua Igreja e testemunhamos do Seu evangelho.

Conclusão
A Igreja existe para adorar ao Deus Trino em todas as circunstâncias e situações. A verdadeira adoração é centrada em Deus, trinitária, mediada por Cristo, capacitada pelo Espírito e transformadora. Que Deus nos ajude a adorá-lo de todo o nosso coração, alma, mente e força, para a Sua glória e para o nosso bem. Amém.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima