EMOÇÕES E SENTIMENTOS

 

       EMOÇÃO: a palavra emoção significa movimentação ou agitação do organismo. É o estado em que o organismo sai do seu equilíbrio. A manifestação emocional é um distúrbio da atividade glandular e muscular.

       EMOÇÃO: são expressões afetivas acompanhadas de reações intensas e breves do organismo em resposta a um acontecimento inesperado. Comoção, perturbação.

1)  Dinâmica do fio(corda) a ser ultrapassado sem cair no abismo.

2)  Dinâmica do rótulo: Riam de mim, Me desprezem, “me adorem”.Exemplos de características emocionais: Medo, raiva, riso, etc…

Medo: Quando um indivíduo se confronta com o perigo surge o medo, uma reação de surpresa ou sobressalto.

Raiva: O que produz a raiva em uma pessoa poderá ser a contrariedade ou a dor. Quando um indivíduo está com raiva ou dor, há a possibilidade de “perder a cabeça” ou o controle.

Riso: O riso surge pela satisfação ou diante de um fato engraçado. Na piada o riso surge porque determinada situação se apresenta de forma inesperada, completamente diferente do que se esperava.

Químicas na emoção

Existem vários estados emocionais, não se podendo assim identificar todas as mudanças físicas químicas e psicológicas provenientes das emoções, porém, na cólera e medo é possível distinguir dois elementos químicos na corrente sangüínea. Na cólera conseguimos identificar a adrenalina. Nos filmes violentos existe até a expressão popular que tal aventura é “pura adrenalina”. No medo de consegue identificar dois elementos químicos: Adrenalina e noradrenalina. Este segundo elemento químico é tão poderoso, que é possível um cão percebê-lo.

REAÇÕES FÍSICAS NA EMOÇÃO

A emoção não encontrando evasão pode gerar resultados como frustração ou depressaõ. Nos estados emocionais temos muitas das vezes consciência de reações físicas: coração pesado, músculos tensos, palmas das mãos úmidas de suor, alteração na cor das faces, tremor, etc.

       SENTIMENTO: difere das emoções por serem mais duradouros, menos “explosivos” e não serem acompanhados de reações orgânicas intensas.

       SENTIMENTO: ato ou efeito de sentir- (se). Disposição afetiva em relação a coisas de ordem moral ou intelectual.

“Se vocês encontrarem tempo para conversar todos os dias,  jamais se tornarão estranhos.”

(Léo F. Buscaglia)

SENTIMENTOS

       SENTIMENTO: difere das emoções por serem mais duradouros, menos “explosivos” e não serem acompanhados de reações orgânicas intensas.

       SENTIMENTO: ato ou efeito de sentir- (se). Disposição afetiva em relação a coisas de ordem moral ou intelectual.

Os sentimentos estão diretamente ligados aos pensamentos (ou ao monólogo

interior) – e também ao comportamento.

PENSAMENTOS  SENTIMENTOS  COMPORTAMENTO

Exemplo: Pensamentos negativos levam a sentimentos negativos, que levam a

um comportamento negativo. Uma criança pensa num copinho de sorvete, o que cria um sentimento (desejo de um sorvete de chocolate com cobertura dupla), que leva ao comportamento (fazer alguma coisa para obter o sorvete).

Ao lidar com essa situação você poderá ou não decidir comprar o sorvete para

seu filho. Se escolher não comprá-lo, será muito fácil negar, sem refletir, os sentimentos dele (“Você de fato não deveria sentir isso antes do jantar”). Em vez disso, reconheça e aceite seus sentimentos (“É claro que você quer um sorvete agora”), e então intervenha no nível do pensamento (“Mas está muito perto da hora do jantar, e é provável que  o sorvete estrague o seu apetite”), ou no nível do comportamento(“Não podemos lhe dar um sorvete agora, meu bem”).

Algumas pessoas lidam com os sentimentos negativos gritando, batendo ou assumindo outros comportamentos agressivos, como o de “monstro”. Este tipo de “expressão” pode dar um alívio ilusório, mas na realidade prejudica não só o outro, como o relacionamento e a auto-estima de todos.

Os sentimentos são experiências particulares, interiores, que nos falam do nosso

mundo. Não podemos esperar que as pessoas sintam como nós, pois com isso estaremos desrespeitando sua integridade. Ao ditar como as pessoas deveriam ou não se sentir, nós os estamos pressionando para que desistam de sua própria realidade emocional. Jamais poderemos fazer isso, os impediremos de fabricar emoções. Apenas reprimirão seus sentimentos verdadeiros e fingirão sentir-se de maneira diferente da que de fato se sentem.

Os sentimentos têm um propósito legítimo. Eles são parte do ser humano e

devem ser aceitos, como conteúdo psicológico. “Os sentimentos parecem inadequados apenas quando não são entendidos”.

A repressão dos sentimentos cria uma tensão corporal que continuará a

aumentar até que seja aliviada. Esta pressão pode voltar-se contra o eu – sob a forma de problemas psicossomáticos ou psicológicos – ou dirigir-se contra os outros, na família ou na sociedade.

O maior exemplo de situações como esta estão representadas na fase da

adolescência. Podemos lembrar dos filhos que estão na fase da adolescência ou lembrarmos de nós mesmos, quando nossos sentimentos foram reprimidos e de que maneira reagimos e não agimos.

  “ Se dermos a uma semente terra boa, muita água e sol, ela não precisará  esforçar-se para desabrochar. Ela não precisará de autoconfiança, de disciplina nem de perseverança. Ela apenas despontará. De fato, ela não poderá deixar de brotar.”

(Bárbara Sher)

Escola de Teologia – MECC

Disciplina: Aconselhamento Cristão

Professora: Sandra Cintra

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *