OS DOZE DISCÍPULOS APÓS A MORTE DE JESUS

 

PONTOS DA TEOLOGIA

A primeira comunidade de cristãos era
formada, em sua maioria, de

judeus, além de alguns prosélitos
e helenistas, liderados pelos apóstolos, que eram judeus e iniciaram sua
atividade em território judeu. Assim sendo, os primeiros a se oporem a este
movimento foram os próprios judeus.

Em Jerusalém iniciaram as perseguições aos
cristãos, com a prisões

dos Apóstolos, por ordem dos
líderes do judaísmo (At 5), culminando com a morte de Estevão (At 7), o
primeiro mártir da igreja. Esta perseguição forçou a dispersão dos cristãos que
estavam em Jerusalém, os quais se espalharam. O evangelista

Lucas informa que “fez-se,
naquele dia, uma grande perseguição contra a igreja que estava em Jerusalém; e
todos foram dispersos pelas terras da Judéia e da Samaria, exceto os apóstolos”
(At 8.1).

As autoridades judaicas deram todos os
poderes a Saulo de Tarso

para que empreendesse uma grande
perseguição aos discípulos de Jesus, os quais foram retirados das suas casas e
presos (At 8.3). Vendo que isto agradava aos judeus, Herodes também perseguiu
os cristãos, ordenando a morte de Tiago, irmão de João (At 12.2) e prendendo o
apóstolo Pedro, o qual foi solto miraculosamente.

Com a conversão de Paulo, o perseguidor
vira perseguido e também

é alvo da ira dos judeus, sendo
perseguido por eles por onde quer que vá, pregando o evangelho. Em Jerusalém
eles armam conspirações para matá-lo (At 23.10,21), forçando os soldados
romanos a retirá-lo da cidade.

A despeito da perseguição, a igreja
crescia e os discípulos de Jesus

se multiplicavam, por causa da
pregação do evangelho. A Bíblia descreve este fenômeno em Samaria (At 8.5-17),
Cesaréia (At 10) e Antioquia (At 11.19-22).

Através do trabalho missionário do
apóstolo Paulo e seus

companheiros, grande parte do
mundo romano foi alcançado pelo evangelho, desde a Galácia e Pisídia, até as
cidades gregas de Atenas e Corinto, de forma que em

“quase em toda a Ásia” (At 19.26)
a igreja se espalhou, até mesmo em Roma, para onde o apóstolo Paulo foi levado
preso. O apóstolo Pedro também escreve aos que estão “dispersos no Ponto,
Galácia, Capadócia, Ásia e Bitínia” (1Pe 1.1). 

Nome

Informação Bíblica

Informação
da Tradição

Martírio,
segundo John Fox

Simão Pedro

Pregou o sermão do dia de

Pentecostes

Curou o coxo na porta do templo.

Perseguido pelo Sinédrio. Repreendeu Ananias e Safira, e
Simão, o mágico. Ressuscitou Dorcas. Pregou o evangelho a Cornélio.

Milagrosamente libertado da prisão.

Repreendido por Paulo em Antioquia.

Escreveu duas epístolas do NT.

Tradições posteriores mencionam visita à Bretanha e à
Gália. Crucificado de cabeça para baixo em Roma durante a perseguição
comandada por Nero

(64-68 d.C.)

Crucificado de cabeça para abaixo, com os pés para cima.

André

 

Acreditava-se ter pregado na Cítia, na Ásia Menor e na
Grécia.

Crucificado
em Patras, na Acaia.

Crucificado em Edessa numa
cruz em forma de X.

Tiago, filho de Zebedeu

Executado por Herodes Agripa I

 

Martirizado
em Filipos,  no 44 d.C.

João

Participu da cura do coxo na porta do templo.

Acompanhou o trabalho de
Filipe em Samaria.

Exilado, já no fim da vida, na ilha de Patmos.

Escreveu um evangelho, três epístolas e o Apocalipse.

Serviu em Éfeso.

Diz-se que repreendeu Cerinto, gnóstico da igreja
primitiva.

Sofreu morte natural em Éfeso no ano 100 d.C.

 

Filipe

 

Crucificado, segundo se diz, em Hierápolis, na Ásia Menor.

Foi acoitado, encarcerado e depois crucificado, no 54 d.C.

em Heliópolis, na Frigia.

Mateus

Escreveu o evangelho que leva o seu nome.

Tradições

contraditórias o situam na Etiópia, na Pártia, na Pérsia e
na Macedônia.

Morto com uma lança na cidade de Nadaba no ano 60 d.C.

Tomé

 

Acredita-se ter pregado na Babilônia. Uma tradição muito antiga e
bastante reconhecida o menciona fundando igrejas e finalmente sendo
martirizado na Índia.

Predicou o Evangelho em Partia e na Índia, onde por ter provocado a
fúria dos sacerdotes pagãos, foi martirizado, sendo atravessado com uma
lança.

Bartolomeu

 

Acredita-se ter acompanhado Filipe a Hierápolis.

Foi martirizado depis de seu ministério na Armênia.

Cruelmente açoitado e logo crucificado na Índia.

Tiago, filho de Alfeu

 

Confundido reiteradas vezes com Tiago, irmão de Jesus, na tradição da
igreja primitiva.

Possivelmente desenvolveu
um ministério na Síria.

 

Tadeu

 

Muitas vezes confundido
com Judas, irmão de Jesus. A tradição associa seu ministério com Edessa.

Foi crucificado em Edessa no 72 d.C

Simão, o zelote

 

Associado de modo conflitante (e dúbio) com a Pérsia, com o
Egito, com Cartago e com a Bretanha.

Pregou o Evangelho na Mauritânia, África, inclusive na Grã Bretanha,
país no qual foi crucificado em 74 d.C.

Judas Iscariotes

Enforcou-se depois de
trair a Jesus Cristo.

 

 

John Fox ainda cita Lucas pendurado em uma oliveira, na Grécia, Marcos sendo despedaçado em Alexandria, Matias apedrejado e crucificado em Jerusalém, Tiago, irmão de Jesus espancado e apedrejado pelos judeus com a idade de noventa e nove anos e o apóstolo Paulo decapitado em Roma.


POR: ETAP ; Márcio Klauber Maia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *