Lição Adultos 1º Trimestre 2017

 

TEMA
 As Obras da Carne e o Fruto do Espírito 

SUBTÍTULO: 
 Como o crente pode vencer a verdadeira batalha espiritual travada diariamente

AUTOR: 
 Osiel Gomes

Introdução

A vida cristã é um caminho de constante transformação e crescimento espiritual. Nesse contexto, as Escrituras falam sobre duas direções opostas que podem moldar o caráter de uma pessoa: as “Obras da Carne” e o “Fruto do Espírito”. Esses dois conceitos se opõem e revelam o conflito interior que cada indivíduo pode enfrentar em sua jornada espiritual. Neste artigo, exploraremos cada um desses temas e destacaremos a importância de cultivar o Fruto do Espírito para uma vida plena e frutífera.

1 – As Obras da Carne e o Fruto do Espírito

As “Obras da Carne” são comportamentos e atitudes humanas que estão em oposição aos princípios divinos. São características que refletem a natureza pecaminosa do ser humano e incluem coisas como imoralidade, ódio, inveja, egoísmo, ira, entre outros. Essas obras podem levar ao sofrimento, conflitos interpessoais e afastamento de Deus.
Em contraste, o “Fruto do Espírito” refere-se às virtudes que o Espírito Santo desenvolve em um crente que vive em comunhão com Deus. Segundo a Bíblia, esses frutos são amor, alegria, paz, paciência, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e autocontrole (Gálatas 5:22-23). O cultivo dessas qualidades leva a uma vida mais gratificante e alinhada aos propósitos divinos.

2 – O Propósito do Fruto do Espírito

O propósito do Fruto do Espírito é duplo. Primeiro, ele visa transformar o caráter do indivíduo, moldando-o à semelhança de Cristo. Conforme nos tornamos mais amorosos, pacientes e controlados, refletimos o caráter de Deus ao mundo ao nosso redor. Segundo, o Fruto do Espírito também serve como uma ferramenta para impactar positivamente a vida dos outros. Quando vivemos em conformidade com essas virtudes, influenciamos nosso ambiente com paz, bondade e alegria.

3 – O Perigo das Obras da Carne

As Obras da Carne podem ter consequências devastadoras em nossas vidas. O egoísmo pode destruir relacionamentos, a inveja pode corroer a alma, e a ira pode levar a atitudes destrutivas. Além disso, essas atitudes prejudicam nossa comunhão com Deus, afastando-nos de Sua vontade e propósito para nós.

4 – Alegria, Fruto do Espírito; Inveja, Hábito da Velha Natureza

A alegria é um dos frutos mais preciosos do Espírito Santo. Ela transcende as circunstâncias externas e encontra sua fonte na paz de estar em comunhão com Deus. Por outro lado, a inveja é uma manifestação da velha natureza, levando-nos a cobiçar o que os outros têm, ao invés de valorizar nossas próprias bênçãos.

5 – Paz de Deus: Antídoto contra as Inimizades

A paz de Deus é um fruto transformador. Ela nos capacita a lidar com conflitos e inimizades de uma maneira diferente, buscando reconciliação e perdão. Quando vivemos em paz, estabelecemos um ambiente propício para que outros também encontrem essa paz em suas vidas.

6 – Paciência: Evitando as Dissensões

A paciência é uma virtude essencial para evitar dissensões e desentendimentos. Ela nos ajuda a compreender as limitações dos outros e a respeitar o tempo necessário para o crescimento e mudança.

7 – Benignidade: um Escudo Protetor contra as Porfias

A benignidade é uma atitude que protege contra contendas e discussões desnecessárias. Quando somos benignos, tratamos os outros com gentileza e respeito, construindo relações saudáveis e harmoniosas.

8 – A Bondade que Confere Vida

A bondade é um fruto que nos impulsiona a agir em benefício dos outros. Pequenos atos de bondade podem fazer uma grande diferença na vida das pessoas ao nosso redor, espalhando vida e esperança.

9 – Fidelidade, Firmes na Fé

A fidelidade é um aspecto vital da vida cristã. Ela nos encoraja a permanecer firmes em nossa fé, mesmo em meio às adversidades, confiando que Deus é fiel em Suas promessas.

10 – Mansidão: Torna o Crente Apto para Evitar Pelejas

A mansidão é uma qualidade que nos torna aptos a evitar conflitos e brigas. Ela nos permite responder com suavidade e humildade, em vez de responder com raiva ou violência.

11 – Vivendo de Forma Moderada

Viver de forma moderada é cultivar o equilíbrio em todas as áreas da vida. Isso inclui nossas emoções, finanças, relacionamentos e hábitos. A moderação nos ajuda a evitar excessos que podem levar a pecados e comportamentos destrutivos.

12 – Quem Ama Cumpre Plenamente a Lei Divina

O amor é o ápice dos frutos do Espírito. Quando amamos genuinamente a Deus e ao próximo, cumprimos plenamente a lei divina. O amor é a base de todas as outras virtudes e é o que nos capacita a viver uma vida de frutificação espiritual.

13 – Uma Vida de Frutificação

Uma vida de frutificação é o resultado natural de viver em sintonia com o Espírito Santo e cultivar os Frutos do Espírito. Quando essas virtudes são evidentes em nossas ações, palavras e pensamentos, nossa vida se torna uma fonte de inspiração para os outros.
Ao viver uma vida de frutificação, impactamos positivamente nosso ambiente, pois os Frutos do Espírito transcendem barreiras e atingem corações. O amor genuíno motiva-nos a cuidar dos necessitados, a alegria contagiante traz esperança aos desesperançados, e a paz que carregamos acalma as tormentas das vidas daqueles que nos cercam.
Uma vida frutífera também se manifesta em nossa conduta ética e moral. A bondade e a fidelidade nos levam a agir com integridade, honrando nossos compromissos e sendo pessoas confiáveis. A mansidão nos capacita a resolver conflitos com humildade e a evitar atitudes agressivas.
Quando somos pacientes, evitamos julgamentos precipitados e buscamos entender o ponto de vista do outro, construindo relações mais profundas e significativas. A benignidade e a paciência também nos permitem suportar as falhas dos outros sem perder o amor e a compaixão.
Uma vida de frutificação é contagiante. As pessoas ao nosso redor são atraídas pela autenticidade e pela luz que emanamos. Nossa conduta cristã se torna uma poderosa ferramenta de testemunho, revelando ao mundo o poder transformador de Cristo em nós.
Por outro lado, quando permitimos que as Obras da Carne dominem nossa vida, somos impedidos de experimentar o verdadeiro potencial que Deus tem para nós. A inveja nos consome, a ira nos cega e a falta de amor nos torna egoístas e distantes de Deus e dos outros.

Conclusão

Cultivar o Fruto do Espírito é um desafio contínuo, mas recompensador, que nos leva a uma vida de plenitude e frutificação espiritual. Através do amor, alegria, paz, paciência, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e autocontrole, nos aproximamos cada vez mais de uma vida alinhada com os propósitos de Deus. Enquanto deixamos para trás as Obras da Carne, somos transformados e capacitados a impactar positivamente nosso entorno, espalhando os frutos do Espírito para uma vida abundante e significativa.


obs: neste poste
so os tiulos que é de Osiel Gomes
os comentários são do PB Ivaldo Fernandes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *