lição Jovens e Adultos 1º Trimestre 2010

 TEMA
 2° Coríntios 


SUBTÍTULO: 
 “Eu, de muito boa vontade, gastarei e me deixarei gastar pelas vossas almas”

AUTOR:
 Elienai Cabral

O apóstolo Paulo foi uma figura central e influente na história do cristianismo primitivo, deixando um legado duradouro que ecoa até os dias atuais. Seu apostolado, cheio de desafios e perseguições, é um exemplo inspirador para os cristãos de todas as épocas. Neste artigo, exploraremos várias facetas do ministério de Paulo, suas aflições e consolos, seu caráter como líder-servidor, e a glória tanto das alianças quanto das exortações pastorais que ele compartilhou com a igreja.

1. A Defesa do Apostolado de Paulo

O apostolado de Paulo frequentemente foi questionado e contestado. No entanto, Paulo nunca se abalou com as críticas e perseguições que enfrentou. Ele defendeu incansavelmente sua autoridade apostólica, reivindicando que sua comissão vinha diretamente do próprio Jesus Cristo, por meio de revelações e experiências sobrenaturais. Sua dedicação em proclamar o evangelho e plantar igrejas em várias cidades e regiões é testemunho de sua genuína chamada divina.

2. O Consolo de Deus em Meio à Aflição

O ministério de Paulo não foi isento de dificuldades e aflições. Ele enfrentou perseguições, prisões, enfermidades e diversos desafios. No entanto, em meio a todas essas provações, ele encontrou consolo em Deus. Através de suas cartas, percebemos que Paulo desenvolveu uma profunda confiança na soberania de Deus e em Seu cuidado amoroso. Ele se tornou uma testemunha viva do poder de Deus em fortalecer e sustentar Seus servos em tempos de adversidade.

3. A Glória do Ministério Cristão

A glória do ministério cristão é revelada de forma magnífica através da vida e ministério de Paulo. Seu zelo incansável para proclamar o evangelho, aprofundar a fé dos crentes e cuidar do rebanho de Deus ilustra o que o ministério cristão autêntico deve ser.
Paulo não buscou fama ou reconhecimento pessoal; seu foco estava inteiramente na glória de Deus e no bem-estar do povo de Deus. Sua paixão e compromisso com o evangelho o levaram a suportar perseguições, prisões e inúmeras adversidades.
Além disso, Paulo também exaltou a glória de Deus ao reconhecer que, mesmo em suas fraquezas e limitações humanas, Deus o usava poderosamente para realizar Sua obra. Ele se referiu a si mesmo como um “vaso de barro” que continha um tesouro celestial (2 Coríntios 4:7). Essa humildade e dependência de Deus refletiam a verdadeira essência do ministério cristão – reconhecer que toda a glória e poder pertencem a Deus e não aos líderes humanos.

4. A Glória das Duas Alianças

Paulo foi um estudioso das Escrituras e compreendeu profundamente a relação entre a antiga e a nova aliança. Ele ensinou que a antiga aliança, dada por meio de Moisés, apontava para a nova aliança em Cristo. A glória da nova aliança superava a da antiga, pois trouxe salvação pela graça e pela fé, não pelas obras da lei. Paulo enfatizou que, em Cristo, somos justificados e reconciliados com Deus, cumprindo-se assim as promessas feitas na antiga aliança.

5. Tesouro em Vasos de Barro

Uma das marcas distintivas do ministério de Paulo foi sua humildade. Ele reconheceu que, apesar da grandiosidade do evangelho que ele pregava, ele próprio era apenas um vaso de barro. Essa metáfora ilustra que a glória e o poder do evangelho vêm de Deus, e não de instrumentos humanos. Paulo confiava na força divina para superar suas fraquezas pessoais, permitindo que a glória de Deus brilhasse através dele.

6. O Ministério da Reconciliação

Paulo foi um proponente apaixonado da reconciliação por meio de Cristo. Ele ensinou que Deus, em Cristo, estava reconciliando o mundo consigo mesmo, não imputando aos seres humanos os seus pecados. O ministério da reconciliação é uma chamada para que os cristãos sejam embaixadores de Cristo, levando a mensagem de paz e salvação a um mundo perdido em suas transgressões.

7. Paulo, um Modelo de Líder-Servidor

Paulo destacou-se como um exemplo de líder-servidor. Ele não buscou posição ou reconhecimento, mas humildemente serviu a Deus e ao povo de Deus. Seu coração pastoral era evidente em suas cartas, onde ele se preocupava com o crescimento espiritual e bem-estar das igrejas que ele fundou. Seu amor genuíno pelas pessoas e o cuidado com que ele as aconselhava demonstraram como a liderança cristã deve ser exercida.

8. Exortação à Santificação

A santificação era um tema central nas cartas de Paulo. Ele instava os crentes a viverem uma vida piedosa e separada do pecado. Através da obra do Espírito Santo, Paulo acreditava que os cristãos poderiam crescer em santidade e se tornarem mais semelhantes a Cristo. Sua ênfase na santificação é uma chamada atemporal para que os cristãos busquem a santidade em todos os aspectos da vida.

9. O Princípio Bíblico da Generosidade

Paulo incentivou a generosidade entre os crentes e enfatizou a importância de contribuir para as necessidades dos outros. Ele instruiu as igrejas a serem generosas em suas ofertas, não por obrigação, mas por amor e gratidão a Deus. Paulo ilustrou o princípio bíblico da generosidade através de seu próprio exemplo, envolvendo-se na coleta de recursos para os pobres em Jerusalém.

10. A Defesa da Autoridade Apostólica de Paulo

Desde o início de sua jornada apostólica, Paulo encontrou resistência e críticas de alguns segmentos da comunidade cristã. Alguns questionavam a validade de sua comissão apostólica, argumentando que ele não havia sido um discípulo de Jesus durante Seu ministério terreno. No entanto, Paulo não se intimidou com essas objeções e buscou fundamentar sua autoridade com base em experiências sobrenaturais e revelações divinas.
Em sua carta aos Gálatas, por exemplo, Paulo enfatiza que sua vocação apostólica não foi fruto da vontade humana, mas por meio da revelação de Jesus Cristo (Gálatas 1:11-12). Ele também menciona sua visão no caminho para Damasco, quando encontrou o próprio Cristo, o que o transformou de perseguidor dos cristãos em um dos maiores propagadores do evangelho (Atos 9).
Além disso, Paulo destaca em suas cartas que sua autoridade apostólica foi reconhecida e aceita pelos outros apóstolos, como Pedro, Tiago e João. Esse reconhecimento da liderança apostólica por parte dos outros líderes cristãos da época fortaleceu a posição de Paulo como um dos principais instrumentos de Deus na propagação do evangelho entre os gentios.

11. Características de um Autêntico Líder

As cartas de Paulo revelam várias características de um líder autêntico. A humildade, a paixão pelo evangelho, a disposição de sacrificar-se pelos outros e a integridade moral foram algumas das qualidades que ele exibiu. Essas características continuam a ser referências importantes para os líderes cristãos contemporâneos, inspirando-os a seguir os passos desse grande apóstolo.

12. Visões e Revelações do Senhor

Paulo compartilhou experiências de visões e revelações que teve do Senhor. Uma das mais significativas foi sua experiência no caminho para Damasco, quando teve um encontro pessoal com Jesus Cristo que transformou sua vida e ministério. Essas experiências sobrenaturais fortaleceram a fé de Paulo e o capacitaram para enfrentar as dificuldades e desafios que encontrou em sua jornada como apóstolo.

13. Solenes Advertências Pastorais

Nas suas cartas, Paulo emitiu advertências pastorais sérias para alertar as igrejas sobre questões de falsa doutrina, divisões e condutas imorais. Ele valorizava a pureza doutrinária e exortava os cristãos a permanecerem firmes na verdade do evangelho.


obs: neste poste
so os tiulos que é de Elienai Cabral
os comentários são do PB Ivaldo Fernandes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *