lição Jovens e Adultos 1º Trimestre 2006

TEMA:
 Salvação e Justificação 

SUBTÍTULO:
 Os pilares da vida cristã

AUTOR:
 Eliezer Lira

A história da Igreja de Roma remonta aos tempos bíblicos, quando o apóstolo Paulo escreveu sua carta aos Romanos, estabelecendo as bases teológicas e doutrinárias da fé cristã. Ao longo dos séculos, a Igreja de Roma tem desempenhado um papel central na propagação e preservação dos ensinamentos de Cristo.

1: A Igreja de Roma

A Igreja de Roma, também conhecida como Igreja Católica Romana, é uma das mais antigas instituições cristãs do mundo. Seu papel é considerado fundamental para a unidade e continuidade da fé cristã ao longo dos séculos. A cidade de Roma, por sua importância histórica e política, tornou-se o centro de influência para a Igreja Católica, com o bispo de Roma, conhecido como Papa, assumindo um papel de liderança espiritual.

 

2: A Corrupção da Humanidade

Apesar dos ensinamentos de Cristo, a história da humanidade tem sido marcada pela corrupção e pecado. Desde os tempos bíblicos, vemos que todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus. A corrupção da humanidade é um lembrete da nossa necessidade constante de redenção e reconciliação com Deus.

 

3: A Justiça de Deus

A justiça de Deus é alicerçada em Sua santidade e retidão. Como seres humanos corrompidos, não podemos alcançar a justiça divina por nossos próprios esforços. No entanto, através da obra redentora de Cristo, que morreu pelos nossos pecados, podemos encontrar a justiça e a graça de Deus.

 

4: A Justificação pela Fé em Cristo

A justificação pela fé é um conceito-chave na teologia cristã. Somos justificados diante de Deus não por obras, mas pela fé em Jesus Cristo. Nossa fé é a resposta ao amor de Deus por nós e à salvação oferecida através do sacrifício de Cristo na cruz.

 

5: A Doutrina da Graça de Deus

A doutrina da graça de Deus é central para a compreensão da salvação. A graça é um dom imerecido concedido por Deus aos seres humanos. Nada que façamos pode merecer essa graça; é um presente generoso e livremente oferecido a todos que creem em Cristo.

 

6: A Consagração do Crente

A consagração do crente refere-se à dedicação completa e exclusiva a Deus. Como seguidores de Cristo, somos chamados a viver vidas santas e separadas do pecado. Essa consagração envolve a submissão à vontade de Deus, a busca por uma vida de retidão e a prática do amor ao próximo.

 

7: A Chamada Divina e o Livre-arbítrio

A chamada divina é um tema complexo na teologia cristã. Embora Deus chame as pessoas para servi-lo e cumprir Seus propósitos, também somos dotados de livre-arbítrio, a capacidade de fazer escolhas. A tensão entre a soberania de Deus e o livre-arbítrio humano é um enigma que, em última análise, reconhecemos como parte do mistério da fé.

 

8: A Eleição e o Futuro de Israel

A eleição é um conceito presente nas Escrituras, especialmente quando se trata do povo de Israel. Deus elegeu Israel como Seu povo especial, e as promessas feitas a Abraão e seus descendentes continuam relevantes. A compreensão da eleição e do futuro de Israel desafia os estudiosos e crentes a refletirem sobre o papel contínuo do povo judeu no plano divino.

 

9: Fidelidade no Uso dos Dons

Os dons espirituais são capacidades especiais concedidas aos crentes pelo Espírito Santo para edificação da Igreja e serviço a Deus. A fidelidade no uso dos dons implica em empregá-los com sabedoria, amor e humildade, visando o bem comum e a glória de Deus.

 

10: O Cristão e o Estado

A relação entre o cristão e o Estado tem sido objeto de debate ao longo dos séculos. Jesus ensinou a dar a César o que é de César e a Deus o que é de Deus, indicando a importância de obedecer às autoridades estabelecidas. No entanto, também devemos lembrar que nossa lealdade máxima deve ser sempre a Deus e Seus princípios.

 

11: Vivendo como Salvos

Viver como salvos é um chamado para uma transformação contínua à imagem de Cristo. Significa abandonar o velho modo de vida marcado pelo pecado e abraçar uma nova identidade em Cristo, refletindo Seu amor e caráter em nossas ações e palavras.

 

12: A Tolerância para com os Fracos na Fé

A tolerância para com os fracos na fé é uma atitude encorajada nas Escrituras. Nem todos têm o mesmo nível de compreensão ou maturidade na fé, e é importante amparar e apoiar aqueles que estão passando por dificuldades espirituais, sem julgá-los.

 

13: O Amor é a Essência da Vida Cristã

Por fim, o amor é a essência da vida cristã. O amor a Deus e ao próximo resume todos os ensinamentos de Cristo e é a base para a vivência plena da fé. Sem amor, todas as nossas ações e conhecimento são vazios. Portanto, devemos buscar crescer em amor, imitando a Cristo em todos os aspectos de nossa jornada espiritual.

Em conclusão, a Igreja de Roma desempenhou um papel significativo na propagação do cristianismo ao longo da história. A compreensão da corrupção da humanidade, a justiça de Deus, a justificação pela fé em Cristo e outras doutrinas fundamentais são essenciais para a vida cristã. Através da consagração, do exercício do livre-arbítrio com responsabilidade e da vivência em amor, os crentes são desafiados a viver uma vida plena, buscando a fidelidade a Deus e ao próximo.

 

 

obs: neste poste
so os tiulos que é de Eliezer Lira
os comentários são do PB Ivaldo Fernandes

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima