Lição adultos 4° trimestre 2023

 

TEMA:
Até os Confins da Terra

SUBTÍTULO:
pregando o Evangelho a todos os povos até a Volta de Cristo

AUTOR

WANER GABY

1. A Grande Comissão: Um Enfoque Etnocêntrico

A Grande Comissão é um dos princípios fundamentais do cristianismo, delineados por Jesus Cristo pouco antes de sua ascensão. No entanto, ao longo da história, a interpretação e aplicação desse chamado têm variado, muitas vezes ocorreram em uma abordagem etnocêntrica. Essa perspectiva limita a expansão do evangelho ao restringir seu alcance a determinadas culturas e grupos étnicos. Este artigo examina a necessidade de uma abordagem mais transcultural na Grande Comissão, a fim de cumprir o dever de ministrar a mensagem do amor de Deus por todas as nações.

 

2. Missões Transculturais: À sua Origem na Natureza de Deus

As missões transculturais encontram suas raízes na própria natureza de Deus. A Bíblia revela um Deus que se revela a todas as culturas e etnias. Ao criar a diversidade cultural, Deus demonstrou seu desejo de se comunicar com todas as nações. A missão transcultural reflete esse aspecto da natureza divina, buscando estabelecer pontes de compreensão e relacionamento entre diferentes povos. A história das missões transculturais revela um chamado contínuo para além das fronteiras culturais, levando a mensagem da salvação a todas as línguas e tradições.

 

3. Missões Transculturais no Antigo Testamento

Embora o termo “missões transculturais” não seja explicitamente mencionado no Antigo Testamento, as raízes desse princípio são evidentes. A história de Jonas, por exemplo, mostra a relutância de um profeta em esperar a Deus ao levar uma mensagem de arrependimento a Nínive, uma cultura diferente. Isso ilustra que Deus sempre teve interesse em alcançar todas as nações. As histórias de Abraão e outros patriarcas também demonstram a intenção divina de abençoar todas as famílias da Terra.

 

4. Missões Transculturais no Novo Testamento

O Novo Testamento é marcado pelo ensinamento direto de Jesus sobre a expansão do reino de Deus. A Grande Comissão, registrada nos evangelhos, é uma ordem explícita para fazer discípulos de todas as nações. Os apóstolos também seguiram esse mandamento, cruzando barreiras culturais e linguísticas para compartilhar o evangelho. A história de Pedro e Cornélio destaca a superação de preconceitos culturais em favor da mensagem do evangelho. Paulo, o apóstolo dos gentios, permaneceu extensivamente, adaptando sua abordagem para alcançar diferentes contextos culturais.

 

5. Uma Perspectiva Pentecostal de Missões

A perspectiva pentecostal de missões enfatiza a atuação do Espírito Santo na expansão do evangelho. A experiência de Pentecostes, registrada em Atos dos Apóstolos, marcou o início da formação sobrenatural para testemunhar. Os pentecostais acreditam que o Espírito Santo capacita os crentes a superar barreiras culturais e linguísticas, permitindo uma comunicação eficaz do evangelho. Essa perspectiva enfatiza o poder divino como catalisador da missão transcultural.

A responsabilidade missionária não é apenas para aqueles que atravessam as fronteiras geográficas, mas para toda a comunidade cristã. Orar, contribuir financeiramente e estar envolvido ativamente no cumprimento da Grande Comissão são papéis essenciais de todos os crentes. A oração sustenta os missionários, a contribuição financeira apoia a logística e o trabalho no campo, e os envolvimentos ativos promovem um senso de responsabilidade compartilhada.

A igreja desempenha um papel crucial no apoio aos missionários. Isso vai além do suporte financeiro e inclui o cuidado emocional, espiritual e logístico. A igreja deve ser um lugar de apoio, treinamento e preparação para aqueles que são chamados a ir para o campo missionário. Manter um relacionamento próximo com os candidatos, fornecer recursos e formação contínua é vital para garantir que eles possam cumprir eficazmente o chamado que receberam.

 

8. Missionários Fazedores de Tendas

O modelo de missionários fazedores de tendas, inspirado na vida de Paulo, envolve sustentar-se financeiramente enquanto se dedica à missão. Esse modelo permite uma abordagem mais orgânica para compartilhar o evangelho, ao interagir com as pessoas em sua vida diária e local de trabalho. Além disso, pode abrir portas em regiões onde o trabalho missionário convencional enfrenta desafios.

 

9. A Igreja e o Sustento Missionário

A sustentação financeira dos missionários é uma parte essencial das missões transculturais. A igreja tem a responsabilidade de garantir que os missionários sejam apoiados abençoados, permitindo-lhes focar inteiramente em sua obra. Isso não envolve apenas o fornecimento de recursos financeiros, mas também o compromisso contínuo em cuidar das necessidades básicas dos responsáveis ​​e de suas famílias.

 

A Janela 10/40 é uma região geográfica que se estende da África à Ásia, englobando muitas das nações menos evangelizadas e acessíveis. Essa área representa um desafio significativo para as missões transculturais devido a obstáculos políticos, religiosos e sociais. No entanto, também apresenta uma oportunidade crucial para expandir o evangelho para aqueles que ainda não tiveram a chance de ouvir a mensagem de salvação.

 

Em muitos lugares, uma missão transcultural acontece em meio à concentração religiosa e opressão. A igreja perseguida muitas vezes demonstra uma resiliência extraordinária, compartilhando o evangelho mesmo em face de adversidades extremas. Isso nos lembra que a missão transcultural não é apenas sobre cruzar fronteiras geográficas, mas também sobre superar barreiras culturais.

 

A igreja de Antioquia, descrita em Atos dos Apóstolos, apresenta um modelo inspirador de envio missionário. Eles ouviram a voz de Deus, dedicaram tempo à oração e ao jejum, e enviaram Barnabé e Paulo para a obra missionária. Essa abordagem demonstra a importância de ouvir a orientação de Deus, preparando os missionários aceitos e apoiá-los enquanto estão no campo.

 

13. O Propósito de Missões

O propósito das missões transculturais vai além de simplesmente aumentar o número de crentes. Envolve a transformação de vidas, a restauração de comunidades, a superação de barreiras culturais e a revelação do amor de Deus a todas as nações. Missões transculturais desempenham um papel vital no cumprimento do plano redentor de Deus para a humanidade, levando a esperança e a salvação a todos os cantos do mundo.

 

14. Missões e a Volta do Senhor Jesus

A conexão entre missões e a volta de Jesus Cristo é inseparável. A Bíblia afirma que o evangelho será pregado em todo o mundo como testemunho a todas as nações antes da segunda vinda de Cristo (Mateus 24:14). Portanto, a missão transcultural não é apenas uma tarefa urgente, mas também está diretamente ligada à esperança da consumação final da história humana.

Um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *