Lição 13 – Vivendo em Santidade

 

DISCIPULADO CICLO 3

DISCIPULADO CICLO 3

MEDITAÇÃO 

Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para
oferecerdes sacrifícios espirituais, agradáveis a
Deus, por Jesus Cristo. (1 Pe 2.5

REFLEXÃO BÍBLICA DIÁRIA 
 SEGUNDA – Miqueias 1.2 
 TERÇA –1 Crônicas 16.29
 QUARTA – Levítico 19.2 
 QUINTA – Efésios 4.24 
 SEXTA – Salmos 30.4 
 SÁBADO – Romanos 7.12 

TEXTO BÍBLICO BASE 

13 – Portanto, cingindo os lombos do vosso
entendimento, sede sóbrios e esperai inteiramente na graça que se vos ofereceu na
revelação de Jesus Cristo, 
14 – como filhos obedientes, não vos conformando com as concupiscências que antes
havia em vossa ignorância; 
15 – mas, como é santo aquele que vos chamou,
sede vós também santos em toda a vossa
maneira de viver, 
16 – porquanto escrito está: Sede santos, porque
eu sou santo. 
17 – E, se invocais por Pai aquele que, sem
acepção de pessoas, julga segundo a obra
de cada um, andai em temor, durante o
tempo da vossa peregrinação, 
18 – sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que,
por tradição, recebestes dos vossos pais, 
19 – mas com o precioso sangue de Cristo, como
de um cordeiro imaculado e incontaminado, 
20 – o qual, na verdade, em outro tempo, foi
conhecido, ainda antes da fundação do
mundo, mas manifestado, nestes últimos
tempos, por amor de vós; 
21 – e por ele credes em Deus, que o ressuscitou
dos mortos e lhe deu glória, para que a vossa
fé e esperança estivessem em Deus. 
22 – Purificando a vossa alma na obediência à
verdade, para amor fraternal, não fingido,
amai-vos ardentemente uns aos outros, com
um coração puro; 
23 – sendo de novo gerados, não de semente
corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva e que permanece para
sempre. 
24 – Porque toda carne é como erva, e toda a
glória do homem, como a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor; 
25 – mas a palavra do Senhor permanece para
sempre. E esta é a palavra que entre vós foi
evangelizada.

INTERAGINDO COM O ALUNO 

Professor, neste domingo trataremos da
santificação. Em nossos dias ser santo não é
apenas necessário ao cristão para o seu dia
a dia, mas também é uma forma de mostrar
a glória de Deus em nossas vidas. Ser santo
também é caminhar na contramão daquilo
que o mundo entende ser o certo, para trilhar
o caminho daquilo que Deus diz ser certo.
Lembre-se de mostrar aos seus alunos que no
processo de santificação não estamos sós, à
nossa própria sorte, mas que temos para nos
ajudar o Espírito Santo, enviado por Deus para
nos santificar. Mostre-lhes que Deus ordena
que sejamos santos porque Ele mesmo é
Santo, e que sem santificação ninguém poderá
ver Deus. Deixe claro a eles que ser santo não
é um fardo, mas um privilégio que Deus dá, a
pessoas que foram nascidas de novo, de viver
sem nos contaminarmos com este mundo e
seus sistemas. Apesar de termos um inimigo
que busca sempre nos desvirtuar, temos a
companhia do Espírito Santo de Deus nos
ajudando no processo de santificação, nos
tornando pessoas mais parecidas com Deus
em sua santidade e pureza. 



OBJETIVOS
 Sua aula deverá alcançar os seguintes objetivos 
1 Entender que santificação é a separação
das coisas deste mundo, mesmo estando
nós neste mundo; 
2 Estimular a dedicação ao estudo da Bíblia para ter uma vida santificada sob a
perspectiva das Sagradas Escrituras; 
3 Adequar à Palavra de Deus aquilo que
se fala e aquilo que se vive. 

PROPOSTA PEDAGÓGICA 
Comece a aula perguntando aos seus
alunos o que é santificação e que tipo de
características deve ter uma pessoa considerada santa. Eles certamente vão trazer diversos exemplos de pessoas que aos seus
olhos são tidas por santas, com seus hábitos e maneiras. Eles provavelmente fixarão
suas opiniões no que essas pessoas fazem
ou deixam de fazer para ser tidas por santas.
Após ouvir as respostas, mostre a eles que a
santidade que Deus espera de nós vai além
do que vestimos, comemos e falamos. Ela é
um estilo de vida, com princípios que farão
com que outras pessoas sejam atraídas para
Deus e farão com que nossas vidas sejam
mais parecidas com a vida de Jesus Cristo.

INTRODUÇÃO 

A palavra “santidade” desperta nas pessoas sentimentos e impressões variadas. O
que é ser realmente uma pessoa santa? Qual
é o papel da santidade em nossas vidas? A
santidade influencia as nossas relações interpessoais? Há alguém disposto a se opor
contra nós e contra Deus na realização da
santidade em nossas vidas? Veremos essas
e outras questões nesta lição. 

1. O QUE É SER SANTO 
    1.1. Santificação na Bíblia. Na Bíblia,
a palavra santificação, e seus derivados,
trazem a ideia de algo ou pessoa que foi
separado para Deus. O Senhor ordenou no
Antigo Testamento que diversos utensílios do
tabernáculo fossem santificados, separados pelos israelitas para uso do culto. Arão e
seus filhos foram separados, santificados,
para que oficiassem no culto: “ E vestirás
com eles a Arão, teu irmão, e também a
seus filhos; e os ungirás, e os consagrarás,
e os santificarás, para que me administrem
o sacerdócio” (Êx 28.41).
   Em relação à vida pessoal, no Antigo
Testamento havia pessoas separadas, mas não
vinculadas especificamente ao culto a Deus,
como os nazireus, descritos em Números 6.
Um homem ou uma mulher que se separassem
para Deus, mesmo temporariamente, não
poderiam beber vinho, rapar o cabelo nem
tocar as pessoas ou animais mortos. Ainda
no Antigo Testamento, Deus exigia que seu
povo agisse de forma santa, não pecando,
respeitando seus irmãos, buscando a Deus
e adorando apenas a Ele.
    1.2. Ser santo é ser separado. Uma
pessoa santa é uma pessoa separada das
coisas do mundo para Deus. Essa separação
se refere a ter uma vida que não seja dominada pela influência do mundo.
   Veja o alto preço que foi pago para que
pudéssemos ser pessoas santificadas: “sabendo que não foi com coisas corruptíveis,
como prata ou ouro, que fostes resgatados
da vossa vã maneira de viver que, por tradição, recebestes dos vossos pais, mas com
o precioso sangue de Cristo, como de um
cordeiro imaculado e incontaminado” (1 Pe1.18,19). Foi preciso que o sangue de Jesus
fosse derramado para que pudéssemos ter
acesso a Deus e receber o Espírito Santo.
Ele é que nos move a buscar a aproximação
com Deus por meio da santificação. 
    1.3. É ser moldado pelo Espírito Santo. O Espírito Santo é o agente que trabalha
em nós para que busquemos a santidade.
Não é fácil buscar ser separado das coisas
do mundo, e como não podemos buscar a santificação por nós mesmos, necessitamos
da ajuda divina para essa tarefa.
   Além disso, precisamos saber que a
vontade de Deus é que sejamos pessoas
santas. A santidade, para o cristão, não é
opção, mas um mandamento a ser obedecido,
de forma que possamos cumprir a vontade
de Deus em nossas vidas. Se levarmos em
consideração que a vontade de Deus é “boa,
agradável e perfeita” (Rm 12.2), não teremos
problemas em entender que devemos buscar
a santificação.

AUXÍLIO TEOLÓGICO 1
 “Receber e obedecer à Palavra de Deus
são coisas tão essenciais na santificação
como a alimentação correta e o exercício o
são para a saúde física. Apesar disso, muitos cristãos negligenciam o aprendizado e
a obediência às Escrituras e, consequentemente, impedem seu crescimento espiritual.
Deus não oferece nenhuma alternativa ao
método de santificação através de sua Palavra (Jo 17.17). O processo de aprendizagem
envolve, entre outras coisas, ouvir, ler, observar, analisar, sintetizar, comparar, questionar e reter a Palavra. Executar todas essas tarefas para aprender a Palavra de Deus
não é tão difícil quanto parece. Muitos desses requisitos já são praticados automaticamente pelas pessoas que desejam entender
as Escrituras. Você pode começar a praticar
outros requisitos necessários e continuar a
incrementar tanto sua leitura bíblica quanto seu método de estudos. As duas maneiras mais simples de se obter conhecimento
geral do conteúdo bíblico são a leitura e a
memorização das Escrituras. Um conhecimento mais detalhado das Escrituras exige
o uso de métodos e ferramentas de estudo
bíblico, juntamente com uma habilidosa interpretação das Escrituras (preferivelmente
nas línguas originais) e o desenvolvimento de um sistema doutrinário. Contudo, os cristãos podem descobrir os princípios mais
importantes da santificação através de uma
leitura cuidadosa e de um estudo da Bíblia
em seu próprio idioma” (HOLLOMAN, Henry. O Poder da Santificação. Rio de Janeiro: CPAD, 2001, pp.129,30).
  “No NT, os evangelhos fazem pouco uso
do termo ‘santo’, que é usado como uma referência ao corpo dos santos ressuscitados (Mt
27.52), e esta pode ser uma referência conforme o uso do AT, àqueles que foram fiéis antes
da era do NT. O próprio Senhor Jesus Cristo
é, no entanto, chamado de ‘o Santo de Deus’
(Mc 1.14; Lc 1.35). Os cristãos, de um modo
geral, são ‘santos’ no uso do NT, e o termo
é comum como uma referência aos membros
de uma igreja local (Rm 1.7; 1 Co 1.2; 2 Co
1.1; Ef 1.1; Fp 1.1; Cl 1.2)… Todos os cristãos
são identificados como santos porque estão
em Jesus Cristo.
    Mantendo o uso tanto do AT quanto do
NT, deve ser observado que aqueles que são
chamados santos devem manter-se no mais
alto padrão ético da vida (Ef 5.3). Esta atitude é revelada através do amor pelos outros,
expresso através de serviços práticos e úteis
(Rm 12.13; 15.25, 26; 16.2; Ef 1.15; Cl 1.4; 1
Tm 5.10; Hb 6.10; 2 Co 8.4; 9.1). No NT, os
santos de Cristo devem ser associados com
Ele na totalidade de seu triunfo e vitória final,
dando um significado escatológico ao termo (1 Ts 3.13; 2 Ts 1.10; 1 Co 6.2,3; Cl 3.4)”
(Dicionário Bíblico Wycliffe. CPAD, 2012,
p.1764). 



2. EQUÍVOCOS SOBRE
A SANTIDADE 
     2.1. No estilo de vida. Ser santo, como
já foi dito, é ser separado. Entretanto, essa
separação não significa que a pessoa santa
deve estar fora desse mundo, e sim dentro
dele, para que pelo seu testemunho, pessoas
tenham conhecimento do Evangelho e possam ser salvas por Cristo. O único caso em que, em o Novo Testamento, se fala sobre
nos afastarmos de determinadas pessoas
neste mundo, é daqueles que se dizem
cristãos e dão mau testemunho: “ isso não
quer dizer absolutamente com os devassos
deste mundo, ou com os avarentos, ou com
os roubadores, ou com os idólatras; porque
então vos seria necessário sair do mundo.
Mas, agora, escrevi que não vos associeis com
aquele que, dizendo-se irmão, for devasso,
ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou
beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda
comais” (1 Co 5.10,11). Ser santo é uma forma
de vida tão séria que devemos nos afastar de pessoas que envergonham o nome do
Senhor com suas atitudes. Paulo sabia que
enquanto estamos neste mundo, não poderemos deixar de conviver com pessoas ímpias
e desonestas, pois senão seria necessário
que saíssemos deste mundo. O que Paulo
está informando é sobre que tipo de pessoas
devemos evitar: aquelas que estão na igreja
e não vivem de uma forma santa. 
     2.2. Na forma de pensar. A nossa
mente é um grande campo de batalha entre
o bem e o mal. É nela que o processo de
santificação deve começar e irradiar por
toda a nossa vida. Ser santo é primeiramente
reconhecer que precisamos mudar a nossa
forma de pensar, não tomando a forma do
mundo, nem nos assemelhando à sua forma
de pensar: “ Rogo-vos, pois, irmãos, pela
compaixão de Deus, que apresenteis o vosso
corpo em sacrifício vivo, santo e agradável
a Deus, que é o vosso culto racional. E
não vos conformeis com este mundo, mas
transformai-vos pela renovação do vosso
entendimento, para que experimenteis qual
seja a boa, agradável e perfeita vontade de
Deus” (Rm 12.1,2). Portanto, nossa mudança
começa na nossa mente, em nossa forma de
pensar, e pensar de acordo com a Palavra e
a vontade de Deus. 
      2.3. A oposição à santificação. não podemos ignorar que temos um inimigo astuto, que não deseja que busquemos a
santificação. Satanás fará o possível para
que realizemos os desejos da carne e desobedeçamos a Deus. Ele não cansa de tentar
os servos de Deus e ainda os acusa quando
pecam. Ele tenta inverter os valores divinos,
desvalorizando aquilo que Deus diz que é
precioso e valorizando aquilo que Deus nos
diz que é pecaminoso. E não são poucas as
pessoas que acabam caindo nessa armadilha. Por isso, devemos sempre depender do
Espírito Santo para não pecar contra Deus.  

AUXÍLIO TEOLÓGICO 2 
“Como os cristãos podem vencer o
mundo? Visando buscar a santificação no
mundo, os cristãos devem vencer a oposição externa do mundo. Cristo venceu o
mundo (Jo 16.33) e os cristãos podem clamar por essa vitória sobre o mundo […].
Esteja certo que você é nascido de Deus
através da fé em Cristo (Jo1.12,13). O nascimento espiritual é a plataforma de lançamento do cristão para a vitória sobre o mundo. ‘Porque todo o que é nascido de Deus
vence o mundo’ (1 Jo 5.4). Até que você
pertença ao Senhor pela fé nEle, você pertence ao mundo e o mundo vai vencê-lo. A
fé em Cristo dá início à nossa vitória sobre
o mundo. ‘Esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé’ (1 Jo 5.4). Quanto mais vivemos pela fé, mais continuaremos a vencer o
mundo […].

   Creia que, através da crucificação com
Cristo, você está morto para o mundo, livre
do fardo do pecado e livre para viver para
Deus. Os cristãos devem acreditar que estão mortos para o mundo antes que possam
se comportar como mortos para o mundo.
Comportar-se como morto para o mundo
significa que nós, tal qual pessoas mortas,
não vamos amar o mundo ou viver para as
coisas do mundo. O mundo também está
morto para os cristãos, de modo que o
mundo não deveria ser mais atraente para
nós, mas, ao contrário, repulsivo e odioso.
O Sr. Taylor, nosso vizinho durante a minha
infância, tinha um cão da raça, foxterrier,
que adorava caçar e matar suas galinhas.
Para impedir essa prática do seu cachorro,
o Sr. Taylor amarrou uma galinha morta ao
pescoço do cão. É claro que a vida social
do cão teve uma queda brutal. Depois de alguns dias, o corpo da galinha tornou-se profundamente repulsivo ao cão, e então o Sr.
Taylor tirou aquela galinha do pescoço do
animal. A partir daquele momento, o cachorro evitou todas as galinhas, quer estivessem
vivas ou mortas. De modo semelhante, o
mundo deveria ser grosseiramente ofensivo
para nós e deveríamos evitar qualquer relação pecaminosa com ele, porque o mundo
se tornou semelhante a um corpo sem vida,
através de nossa crucificação com Cristo”
(HOLLOMAN, Henry. O Poder da Santificação. Rio de Janeiro: CPAD, 2001, p.50).

   “Uma ordem baseada no caráter de
Deus. 1.15.0 lado negativo em relação à santidade é apresentado no versículo 14. O lado
positivo é aqui apresentado em que devemos
nos amoldar a um novo padrão. Mas como é
santo o que vos chamou, sede vós também
santos. Deus chama; é dever do homem responder. Deus apresenta o padrão; é responsabilidade do homem adotá-lo. Deus é o modelo
de toda a santidade (Cf. 1Jo 2.6). O elevado
privilégio e o destino glorioso dos ‘eleitos’ (v.2)
os obriga a seguir diligentemente o exemplo
do Santo que os chamou (Cf. Ef 5.1).
   O que está no coração se manifesta na
vida. Dessa forma, a verdadeira santidade se
revelará em cada fase do viver diário: em toda
a vossa maneira de viver. ‘Sejam santos em
cada área da vida’ (Phillips). ‘Sejam santos
em toda a vossa conduta’ (RSV). A verdadeira
santidade é a vitalidade relacionada aos aspectos civis, religiosos, pessoais e públicos
da vida – a todos os relacionamentos humanos. Santidade e ética não podem estar separados, porque a verdadeira conduta ética é
moldada de acordo com o caráter de Deus”
(Comentário Bíblico Beacon. Vol.9. Rio de
Janeiro: CPAD, 2005, p.218). 

3. SANTIDADE DIÁRIA 
   3.1. Sabedoria e santidade no trato
com os irmãos.
Uma das mais importantes
demonstrações de santidade pessoal é, sem
dúvida, a forma como tratamos os nossos irmãos. Pessoas santas não se exasperam
com outras pessoas, não demonstram arrogância ou qualquer outro tipo de sentimento
parecido com esses. Deus espera que o trato
com nossos semelhantes seja sábio, e isso
é demonstrado na forma mansa com que
tratamos uns aos outros (Tg 3.13). 
    3.2. A importância da leitura e da obediência à Palavra de Deus. Uma pessoa
que deseja realmente ser santa precisa ter diariamente o contato com a Palavra de Deus
por meio da leitura e da meditação daquilo
que está ali escrito. A leitura da Bíblia não
pode ser relegada a um lugar secundário na
vida cristã, sob pena de o cristão ser uma
pessoa que não alimenta sua vida espiritual.

    Obedecer é tão importante quanto ler
a Palavra de Deus. A leitura da Palavra deve
nos mover a uma atitude de obediência ao
que Deus deixou registrado por escrito. E
a obediência deve ser de forma completa.
A obediência parcial aos mandamentos de
Deus é como uma desobediência completa.
Em certa ocasião, o rei Saul recebeu uma
ordem de Deus e a cumpriu parcialmente.
E Bíblia mostra que, por esse motivo, Deus
rejeitou Saul (1 Sm 15.11). Portanto, coloque
em seu coração tanto o desejo de ler e estudar a Palavra de Deus quanto o desejo de
obedecê-la. 

     3.3. Cuidado como falamos e nos
vestimos.
Uma das formas em que a santidade é manifesta é na forma como falamos
e nos vestimos. Nossas palavras precisam
ser santas, ou seja, separadas para serem
usadas por Deus para edificação de outras
pessoas (Ef 4.29). Por isso, devemos santificar
a forma como falamos, e não reproduzir a
linguagem que o mundo impõe aos que não
conhecem a Jesus.
   A forma como nos vestimos também mostra
a nossa santidade. A santidade começa em
nossa mente, e se estende na forma como nos
apresentamos diante das pessoas. Pessoas
santificadas por Deus não expõem seus corpos
com o objetivo de incentivar pensamentos e
desejos pecaminosos em outras pessoas,
pois sabem que seus corpos são templo do
Espírito Santo. Pessoas santificadas sabem
que podem procurar se vestir de forma que
agradem a Deus, e as nossas vestimentas
devem refletir a nossa fé não apenas na igreja,
entre os santos de Deus, mas também fora do santuário, ou seja, no trabalho, na escola
ou faculdade, em família. 

 AUXÍLIO TEOLÓGICO 3 
“Sede santos porque eu sou santo. A
ordem de Deus para ser santo (cf. Lv 11.44-
46; 19.2; 20.7,26) mostra que Ele propõe que
aqueles que Ele chama devem ser sua possessão, não partilhada com ninguém […]. Essa
qualificação não é alcançada por uma separação ritual da impureza, nem por uma consagração formal ao serviço divino, mas pelo
compartilhar a santidade de Deus por meio
de Cristo (cf. Hb 12.10; 13.12; 1 Jo 1.7)” (Comentário Bíblico Beacon. Vol.9. Rio de Janeiro: CPAD, 2005, p.218).
   “Santidade é a escolha de Deus para a
condição moral do homem. Por causa da natureza de Deus, é justo que o homem se assemelhe a Ele. Ele é o Criador. Por causa da
natureza do homem, é possível que ele seja
‘parecido’ com Deus. A possibilidade de nos
tornarmos santos determina o nosso dever de
ser santo. Quando consideramos a natureza
de Deus, a vontade de Deus, o chamado de
Deus, a ordem de Deus, a promessa de Deus,
a provisão, o poder de Deus e os propósitos
eternos de Deus, a conclusão inevitável é que
sem santidade ninguém consegue agradá-lo”
(Comentário Bíblico Beacon. Vol.9. Rio de
Janeiro: CPAD, 2005, p.218). 



CONCLUSÃO 
Ser santo é ser diariamente trabalhado
pelo Santo Espírito de Deus e ter um estilo
de vida que agrade ao Senhor e faça com
que as pessoas à nossa volta vejam a glória
de Deus em nossos testemunhos e atitudes.

VERIFIQUE O SEU
APRENDIZADO 

1 , Qual a ideia produzida pela palavra santificação, e seus derivados?
 Na Bíblia, a palavra santificação, e seus
derivados, trazem a ideia de algo ou pessoa que
foi separado para Deus. 

2 . O que é ser uma pessoa santa? 
Uma pessoa santa é uma pessoa separada das coisas do mundo para Deus. 

3 . Cite um equívoco sobre a santidade. 
Por exemplo, achar que é possível viver
fora do mundo. 

4 . Qual a importância da leitura e da obediência à Palavra de Deus? 
 A leitura da Palavra deve nos mover a
uma atitude de obediência ao que Deus deixou
registrado por escrito. E a obediência deve ser
de forma completa. 

5 . Você deseja ser santo? 
 Resposta livre.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *