Lição 06 – Adultos 2° Trimestre de 2023

2° Trimestre de 2023 cpad jovens


aula: Lição 6 – Pai Zelosos e Filhos Rebeldes

dia: 7 de Maio de 2023


TEXTO ÁUREO
“Vós, filhos, obedecei em tudo a vossos pais, porque isto é agradável ao Senhor.” (Cl 3.20)
 
VERDADE PRÁTICA
O modo de criar e educar tem impacto no comportamento de nossos filhos no mundo, mas não anula a responsabilidade individual das escolhas deles.
 

LEITURA DIÁRIA

Segunda – Cl 3.21; Ef 6.4 O papel dos Pais na educação dos filhos
Terça – 2Tm 3.16,17 A Bíblia como fundamento da educação dos filhos
Quarta – 1Sm 15.22,23 A obediência como virtude dos filhos
Quinta – 2Co 12.14 A responsabilidade dos Pais para com os filhos
Sexta – 1Pe 5.8 É preciso ser sóbrios e vigilantes contra as armadilhas do diabo
Sábado – Nm 6.13-21 Uma descrição do nazireado
 

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Juízes 13.1-7,24; 14.1-3
1 – E os filhos de Israel tornaram a fazer 0 que parecia mal aos olhos do Senhor, e o Senhor os entregou na mão dos filisteus por quarenta anos.
2 – E havia um homem de Zorá, da tribo de Dã, cujo nome era Manoá; e sua mulher era estéril e não tinha filhos.
3 – E o Anjo do Senhor apareceu a esta mulher e disse-lhe: Eis que, agora, é estéril e nunca tens concebido; porém conceberás e terás um filho.
4 – Agora, pois, guarda-te de que bebas vinho ou bebida forte, nem comas coisa imunda.
5 – Porque eis que tu conceberás e terás um filho sobre cuja cabeça não passará navalha; porquanto o menino será nazireu de Deus desde o ventre e ele começará a livrar Israel da mão dos filisteus.
6 – Então a mulher entrou e falou a seu marido, dizendo: Um homem de Deus veio a mim, cuja vista de um anjo de Deus, terribilíssima; e não lhe perguntei de onde era, nem ele me disse o seu nome.
7 – Porém disse-me: Eis que conceberás e terás um filho, agora, pois, não bebas vinho nem bebida forte e não comas coisa imunda; porque o menino será nazireu de Deus, desde o ventre até o dia da sua morte.
24 – Depois, teve esta mulher um filho e chamou o seu nome Sansão; e o menino cresceu e o Senhor o abençoou.

Juízes 14

1 – E desceu Sansão a Timna; e vendo em Timna a uma mulher das filhas dos filisteus,
2 – subiu, e declarou-o a seu pai e a sua mãe, e disse: Vi uma mulher em Timna, das filhas dos filisteus; agora, pois, tomai-a por mulher.
3 – Porém, seu pai e sua mãe lhe disseram: Não há porventura, mulher entre as filhas de teus irmãos, nem entre todo o meu povo, para que tu vás tomar mulher dos filisteus, daqueles incircuncisos? E disse Sansão a seu pai: Tomai-me esta, porque ela agrada aos meus olhos.
 


PLANO DE AULA

1- INTRODUÇÃO
Nesta lição vamos estudar a criação de Sansão a fim de extrair importantes lições sobre a educação dos filhos. Embora vivessem num período de desvio espiritual coletivo e de décadas de jugo, Manoá e sua esposa seguiram as orientações do Anjo do Senhor com zelo e temor. Assim, Sansão nasceu e cresceu nazireu, sendo muito abençoado por Deus.
Contudo, como sabemos, a despeito do comprometimento de seus pais em criá-lo nos caminhos do Senhor para cumprir a importante missão de libertar o seu povo, Sansão usou seu livre-arbítrio para quebrar alguns desses ensinos. Ao longo desta aula, vamos compreender que, a nossa fidelidade a Deus, ainda que seja valiosa como exemplo aos nossos filhos, não é hereditária e nem compulsória. Como pais temos a responsabilidade de semear a Palavra do Senhor, ensinando aos nossos filhos no caminho que se deve andar (Cf. Pv 22.6). Contudo, cientes de que a consequência dessa criação foge ao nosso controle, ela não escapa da soberania do Todo-Poderoso. Não obstante, o último juiz de Israel ter feito más escolhas, por fim , houve um quebrantamento e retorno às preciosas lições deixadas por seus pais, cumprindo assim 0 desígnio divino.

2- APRESENTAÇÃO DA LIÇÃO

A) Objetivos da Lição:
1 Apresentar o contexto pecaminoso de Israel e a fidelidade dos pais de Sansão ao Senhor;
2 Identificar o comprometimento dos pais de Sansão com a sua formação moral e espiritual sob a bênção divina;
3 Conscientizar de que a conduta falha de Sansão na vida adulta, assim como as suas consequências, foi de responsabilidade pessoal e intransferível, fruto de seu livre-arbítrio, nem sempre seguindo a educação recebida.
 

B) Motivação: 

Vivemos sob uma cultura de banalização da culpa parental, como se o desenvolvimento do caráter de um ser humano dependesse única e exclusivamente de sua criação. Como se equilibrar entre a missão divina de criar filhos nos caminhos de Deus e o excesso de informações, desafios culturais, diferentes perspectivas de educação e tudo mais que influencia na formação ética dos nossos filhos? Como não desanimar diante da imprevisibilidade de nosso empenho e esforços na criação deles? Por meio deste estudo, vamos refletir sobre essas importantes questões.

C) Sugestão de Método:

Peça que todos em classe fiquem em silêncio por um momento e lembrem-se de si mesmos mais jovens, por volta da adolescência, por exemplo. Em seguida, peça que também se recordem de seus pais ou responsáveis nesse período: O que mais os recomendaram , um exemplo, lição ou lembrança marcante com eles. Por fim, peça que lembrem de algo que só vieram a compreender após a vida adulta ou mesmo após terem filhos. Encerre esse momento com uma singela oração, pedindo que o Espírito Santo dê a cada um a sabedoria necessária para fazer o melhor por seus filhos, não desanimando diante das escolhas infelizes de alguns deles. Reforce que, sob o nosso controle está apenas a decisão sobre o que ensinar enquanto eles estiverem vivendo a menoridade. Já o que farão com tal ensino na vida adulta é de responsabilidade deles, primeiramente, diante de Deus e, depois, diante dos homens.

3- CONCLUSÃO DA LIÇÃO

A) Aplicação: Ao final do último tópico, reforce a importância de ensinarmos a Palavra de Deus aos nossos filhos, sobretudo, praticando-a na intimidade do lar. Estimule-os a crerem na força da poderosa Mensagem do Evangelho e de seus exemplos transmitidos na criação de seus filhos. Conforte aos que não tiveram a oportunidade de conhecer o Senhor antes e aos que sentem que é tarde demais para os seus filhos, lembrando-os de que a oração, paciência e amor operam milagres em Cristo (Cf. 1 Co 13.13; Tg 5.16).

4- SUBSÍDIO AO PROFESSOR

A) Revista Ensinador Cristão. Vale a pena conhecer essa revista que traz reportagens, artigos, entrevistas e subsídios de apoio à Lições Bíblicas Adultos. Na edição 93, P-39, você encontrará um subsídio especial para esta lição.
B) Auxílios Especiais: Ao final do tópico, você encontrará auxílios que darão suporte na preparação de sua aula:
1) O texto “A criação de Sansão”, localizado ao final do segundo tópico, endossa que, a despeito das preocupações de Manoá e de sua esposa em educar o filho segundo a vontade divina, ao crescer, o último Juiz de Israel se desviou da educação recebida. Tal exemplo fornece um consolo aos pais que se sentem culpados quando os filhos optam por não seguir a Jesus;
2) O texto “Não se apavore, a colheita ainda não se perdeu”, localizado no terceiro tópico da lição, explica que, a crise de fé dos nossos filhos pode ser na verdade o caminho para uma genuína e intransferível aliança com Deus.


INTRODUÇÃO

A história da família de Sansão se dá num contexto de pressão social, escassez e sofrimento impostos pelos filisteus sobre os israelitas, por volta do século XI a.C. O filho de Manoá nasceu por um desígnio de Deus no tempo dos juízes, sendo o 12° e o último juiz em Israel. Apesar de ele ter nascido para cumprir um desígnio divino, na defesa de Israel, tinha um temperamento irascível e rebelde. É possível constatar isso ao longo de sua vida pessoal de acordo com a Bíblia. Na presente lição, veremos que os pais de Sansão foram zelosos em sua educação, mas seu filho tornou-se rebelde.
 
PALAVRA-CHAVE: INSTRUÇÃO
 

I – OS PAIS DE SANSÃO

1- Uma situação espiritualmente deplorável. O capítulo 13 de Juízes mostra que “os filhos de Israel tornaram a fazer 0 que parecia mal aos olhos do Senhor” (v.1). Por isso, Deus entregou Israel na mão dos filisteus por 40 anos (Jz 13.1). Era um contexto em que o povo vivia na prática do pecado, onde poucas famílias temiam a Deus e procuravam guardar seus mandamentos. Entretanto, havia um casal fiel ao Eterno, que recebeu uma visita do Anjo do Senhor.

2- A mulher agraciada era formada por um homem chamado Manoá, da tribo de Dã, e sua esposa, que era estéril (Jz 13.2).

 Foi para essa mulher que o Anjo do Senhor apareceu, dizendo: “Eis que, agora, és estéril e nunca tens concebido; porém conceberás e terás um filho” (Jz 13.3). Dessa forma, a mulher de Manoá surge no cenário do livro de Juízes, escolhida pelo Senhor para ser mãe do “remidor de Israel”. Sua história é semelhante à de Sara, Rebeca e Ana, que tiveram a esterilidade revertida para gerar vidas que desempenhariam uma função importante para a glória de Deus. Sob uma fé inabalável, a mulher de Manoá, devido ao favor gracioso de Deus, geraria um filho que libertaria 0 povo judeu do jugo dos filisteus.

3- Recebendo orientações divinas.

 O Anjo do Senhor deu orientações bem precisas a respeito da criança que iria nascer Isso porque Sansão seria um nazireu desde o ventre materno (Jz 13.5), ou seja, ele seria um homem separado e consagrado para cumprir um desígnio de Deus (Nm 6.13-21). Cabia aos seus pais ensiná-lo e orientá-lo quanto aos requisitos do nazireado. Sansão não poderia beber vinho ou qualquer outra bebida considerada forte; não poderia comer coisa considerada imunda (Jz 13.4.); não poderia ter os cabelos cortados e, finalmente, não poderia tocar em cadáver ou quaisquer outras coisas que representassem uma quebra de voto de nazireu.
 
SINOPSE I
O Senhor escolheu Manoá e sua esposa para serem pais do “remidor de Israel”.


II – O NASCIMENTO DE SANSÃO E SUA FORMAÇÃO

1- O nascimento e desenvolvimento de Sansão. Conforme a promessa, Sansão nasceu de uma mulher estéril. Ele cresceu debaixo da bênção do Senhor (Jz 13.24) . Tanto era assim, que o Espírito Santo o dirigia para o campo de Dã (Jz 13.25) . Não havia dúvida de que a vida de Sansão estava sob a vontade soberana de Deus. Ela foi proveniente de um grande milagre executado pelo Altíssimo na vida de sua mãe.

2- A família de Sansão. 

O menino Sansão, no plano terreno, estava sob a responsabilidade de seus pais. Embora 0 texto bíblico não traga muitos detalhes do relacionamento dos pais de Sansão, podemos inferir que Manoá e sua esposa tinham uma vida conjugal de confiança e profunda piedade:
a) a esposa de Manoá compartilhou diretamente com ele a respeito do Anjo;
b) Manoá orou insistentemente pedindo orientação de como criar a criança;
c) os dois estavam juntos e contemplaram a visão do anjo subindo em meio às chamas do altar (Jz 13.6,8,9,11,20).
Nesse aspecto, podemos perceber que o relacionamento entre esposo e esposa tem impacto direto na formação dos filhos. Certamente, Sansão cresceu em um lar cuja relação baseava-se em amor, comunhão e piedade a Deus.

3- A formação de Sansão. 

Pela citação da trajetória de fé de seus pais, podemos inferir que Manoá e sua esposa criaram Sansão de acordo com as orientações recebidas pelo Anjo do Senhor. Na vida adulta, podemos ver que Sansão observava o protocolo do nazireado (Nm 6.1-7), vindo a violá-lo progressivamente mais tarde. Mas os seus pais fizeram a parte deles, educando-os segundo a orientação divina recebida. Além disso, eles cumpriam os papéis esperados de país para aquele contexto.
   Infelizmente, veremos que Sansão teve fraqueza de caráter e não honrou o voto de nazireu para com o Senhor. O que mostra que há pais zelosos que ensinam seus filhos no caminho em que devem andar, mas, infelizmente, algumas vezes, os filhos escolhem o caminho oposto. Por isso, a partir de uma certa idade, a responsabilidade diante de Deus é individual (Ez 18.20; Rm 2.6). Outrossim, por exemplo, Caim e Abel tiveram a mesma formação, mas comportamentos completamente distintos (Gn 4.1-5).
 
SINOPSE II
Os pais de Sansão foram fiéis às orientações do Senhor sobre a criação e nazireado do filho.





AUXÍLIO DEVOCIONAL

A CRIAÇÃO DE SANSÃO
“Sansão é uma das poucas pessoas nas Escrituras cujo nascimento foi anunciado a seus pais. Ele compartilha esta honra com Isaque, João Batista, e Jesus. Os pais de Sansão eram israelitas devotos que acreditaram na predição e pediram que Deus lhes mostrasse como deviam criar seu filho. A sua oração foi atendida. Sansão devia ser criado como um nazireu — uma pessoa que devia ser consagrada a Deus (veja Nm 6.1-8).
Os nazireus não bebiam vinho, não cortavam seus cabelos, e deviam cumprir algumas outras exigências. É surpreendente que o autor não expresse suas ideias, nesta e em outras histórias do livro de Juízes. Ele simplesmente conta a história, sem moralizar nem comentar. Mas as histórias falam por si mesmas, particularmente no caso de Sansão. Diferentemente de Jefté, Sansão tinha pais devotos e amorosos. Ainda quando era adolescente, ‘o Espírito do Senhor o começou a impelir’ (Jz 13.25).
Os muitos defeitos de Sansão dificilmente podem ser atribuídos aos seus pais, ou a Deus. Que consolo para os pais cristãos devotos cujos filhos não optaram por seguir a Jesus. Cada mãe ou pai atormentado, que olha para trás e se pergunta, ‘O que foi que eu fiz?’ ou ‘O que foi que eu deixei de fazer?’ pode encontrar consolo na história de Sansão.
Os pais de Sansão não falharam. As deficiências que posteriormente destruíram Sansão estavam no próprio Sansão” (RICHARDS, Lawrence O. Comentário Devocional da Bíblia. Rio de Janeiro: CPAD, 2013, p.155).
 

III – A FRAQUEZA DE CARÁTER DE SANSÃO

1- Sansão subestimou o poder do inimigo. Sansão sabia da unção que estava sobre a sua vida para vencer seus inimigos. Certa feita, ele foi cercado por mais de mil soldados filisteus armados, mas Sansão os matou com uma queixada de jumento (Jz 15.15,16). Entre muitas proezas, ele encontrou um leão nas vinhas de Timna, o qual rasgou-o como quem rasga um cabrito porque o Espírito do Senhor veio sobre o juiz de Israel para matar esse filho de leão (Jz 14.5,6). Assim, Sansão foi acostumando-se com a vitória sobre os inimigos até que mais tarde ele seria vítima dessa subestimação (Jz 16.18-22).
Não por acaso, o apóstolo Pedro alerta a igreja a respeito das artimanhas do Diabo: “Sede sóbrios, vigiai, porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar” (1 Pe 5.8). Infelizmente, muitos filhos subestimam as circunstâncias que rondam suas vidas e ignoram a experiência dos pais.

2- A presunção de Sansão.

 Visto que o Espírito do Senhor o capacitou a realizar grandes proezas que o homem comum não realizaria, Sansão não percebeu que tinha um terrível inimigo: o seu próprio ego. Este o levou a subestimar a presença de Deus em sua vida. Sua força vinha de Deus, mas ele agia como se viesse dele mesmo e, por causa disso, passou a anular a glória de Deus.
Sua atitude rebelde e presunçosa o levou a não dar o primeiro lugar para o Senhor, passando a buscar o prazer, a ociosidade e a luxúria (Jz 14.1; Jz 16.1). É muito triste quando os filhos não conseguem mais ver a benevolência do Senhor. Todavia, os pais devem continuar fiéis a Ele, sendo como faróis que encorajam os filhos rebeldes a se reconciliarem com Deus (Lc 15.11-32).

3- Manipulando o poder de Deus e brincando com o pecado.

 Em Juízes 16.16-18, a Bíblia descreve como Sansão tratava as coisas espirituais. Ele entrou num terreno perigoso, “brincando” com a coisa santa. Ele obteve uma ideia falsa do poder de Deus. Iludido, pensava que poderia viver de qualquer maneira, pois estava certo de que o poder divino não lhe faltaria. Geralmente quem brinca com as coisas espirituais também passa a brincar com o pecado (Jz 16.1). Ele afrontou os conselhos de seus pais para se envolver com uma mulher estrangeira (Jz 16.4).
Deixou-se dominar pelas paixões carnais e passageiras. Infelizmente, alguns filhos de nossos arraiais passam a fazer as mesmas escolhas de Sansão. Nesse caso, os pais devem fazer o que se espera que eles façam: Educar os filhos no caminho do Senhor (Pv 22.6). Entretanto, saiba que as escolhas de seus filhos serão de inteira responsabilidade deles, quer para justificá-los quer para condená-los (Ec 11.9).
 
SINOPSE III
As más escolhas de Sansão revelaram mais do seu caráter do que da sua criação.
 

AUXILIO VIDA CRISTÃ

NÃO SE APAVORE, A COLHEITA AINDA NÃO SE PERDEU!
“Por ter visto um ou mais desses sinais de advertência, não conclua que seu filho está perdido. Quando os filhos entram na adolescência e na juventude é muito normal se esforçarem para estabelecer a própria identidade e questionar a identidade que receberam de você. É normal os adolescentes serem influenciados pelo meio e amigos.
E, pelo fato de seus corpos estarem crescendo e mudando, a maioria é acometida por preguiça; até os melhores filhos podem ficar mal-humorados e debochados de vez em quando. Mas o mero fato de essas coisas serem normais não anula a verdade de que eles estão errados e, caso persistam no erro, você precisa ser mais alerta. […] Muitos jovens criados em lares cristãos acabam questionando a fé.
Eles desejam saber se são cristãos porque o Cristianismo é a verdade ou por padrão familiar. Eles veem que há um mundo cheio de pessoas que sinceramente têm outras crenças. Constatam que algumas dessas pessoas são bondosas e inteligentes, e esse fato pode levá-los a questionar se 0 Cristianismo é a verdade absoluta.
Não fique chocado se isso acontecer com o seu filho. A salvação tem de ser confirmada no coração de cada indivíduo; ela não é transferida meramente por laços de família. Tal questionamento pode ser, portanto, uma bênção para o seu filho, porque no final das contas pode resultar em uma reafirmação saudável do Evangelho” (FITZPATRICK, Elyse; NEWHEISER, Jim. Quando filhos bons fazem escolhas ruins. Rio de Janeiro: CPAD, 2007, p.76).



CONCLUSÃO

A presente lição não teve o objetivo de explorar toda a história de Sansão, mas de enfatizar a sua chamada divina, sua formação e o desvio de caráter. Vimos que, muitas vezes, os pais são zelosos em criar seus filhos no caminho do Senhor, mas, infelizmente, quando alguns deles atingem certa idade, passam a ser rebeldes contra o Senhor e os próprios pais. Nosso propósito é que os pais continuem a ser faróis como luzeiros que revelam aos filhos rebeldes o quanto equivocados espiritualmente eles estão; orando sempre, para que eles voltem ao caminho de justiça do Deus Altíssimo.

REVISANDO O CONTEÚDO

1- O que o capítulo 13 de Juízes mostra? 
Mostra que os filhos de Israel tornaram a fazer o mal aos olhos do Senhor, que os entregou nas mãos dos filisteus por 40 anos.
 
2- Cite pelo menos duas orientações do Anjo do Senhor à mãe de Sansão. 
Sansão não podia beber vinho; comer coisa considerada imunda ou cortar os cabelos.
 
3- Segundo a lição, o que podemos inferir pelo texto bíblico? 
Que Manoá e sua esposa criaram Sansão de acordo com as orientações recebidas pelo Anjo do Senhor.
 
4- O que não podemos subestimar, segundo a lição? 
Não podemos subestimar a presença de Deus em nossa vida por causa do nosso próprio ego.
 
5- Segundo a lição, o que acontece com quem brinca com as coisas espirituais? 
Geralmente quem brinca com as coisas espirituais também passa a brincar com o pecado (Jz 16.1).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *